Assuntos

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

JOGO 4990

PARTIDA NUM.: 4990
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Primeira Fase)



JOGO: Bahia 0 X 0 Jacuipense (BA)
DATA: Quarta-feira, 01 de fevereiro de 2017
LOCAL:  Riachão do Jacuípe-BA
ESTÁDIO:  Eliel Martins (Valfredão)
JUIZ: Jailson Macedo Freitas (BA)
AUXILIARES: Elicarlos Franco de Oliveira (BA) e José dos Santos Amador (BA)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Eder, João Paulo Queiroz (Bah) e Thiago Lima, Miller, Araripina, Lidio (Jac)
RENDA: R$ 29.060,00
PÚBLICO: 2.179 pagantes
BAHIA: Anderson; Eder, Lucas Fonseca, Rodrigo Becão e Juninho Capixaba; Matheus Sales, Juninho e Régis; Diego Rosa (João Paulo Queiroz), Mário (Kaynan) e Gustavo (Matheus Peixoto).
TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
JACUIPENSE: Nunes; Paulinho, Betão, Lídio e Marquinhos; Felipe Araripina, Miller, Thiago Lima e Carlinhos; Jeorge (Cassiano) e Levi (Rafael Magalhães). 
TREINADOR: 
Clebson Araújo (Clebson Beleza)

OBSERVAÇÃO: Segundo jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2017. No espetáculo do futebol, os protagonistas são os atletas. Mas neste jogo entre a Jucuipense e o Bahia quem roubou os holofotes foi o Estádio Eliel Martins, em Riachão do Jacuípe.

Em jogo marcado por mais de 30 minutos de atraso por falta de energia e pelas péssimas condições do gramado que estava cheio de buracos, Jacuipense e Bahia não saíram de um empate sem gols.


Com time quase todo reserva, o Esquadrão de Aço somou mais um ponto, foi aos quatro e permaneceu na liderança do Baianão 2017. Já o Leão do Sisal, com dois pontos, subiu para a quarta colocação.


O JOGO


Após 35 minutos de atraso por falta de energia, Bahia e Jacuipense fizeram um primeiro tempo equilibrado, mas ambos com dificuldade. Os inúmeros buracos no gramado atrapalharam o desempenho das duas equipes.


Mas, ainda assim, lances de perigo foram vistos na etapa inicial. Aos 23 minutos, Paulinho arriscou de fora da área e exigiu boa defesa de Anderson para evitar o gol.


Aos 29, o Tricolor respondeu. A bola sobrou para Régis na área, o meia chutou no gol e acertou a trave.


Aos 42, o Leão do Sisal assustou mais uma vez. Após falha da defesa do Bahia, Jeorge chutou cruzado da entrada da área e a bola passou raspando a trave.


SEGUNDO TEMPO


No segundo tempo, o jogo se manteve equilibrado, porém com menos chances de gols para ambos os times. No fim, o duelo não saiu do zero a zero e o destaque ficou por conta do péssimo gramado, que interferiu no desempenho dos atletas. 


VÍDEOS:


FOTOS:

JOGO 4989

PARTIDA NUM.: 4989
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Primeira Fase)



JOGO: Bahia 2 X 0 Jacobina (BA)
DATA: Domingo, 29 de janeiro de 2017
LOCAL:  Salvador-BA
ESTÁDIO: Roberto Santos (Pituaçu)
JUIZ: Gleidson Santos Oliveira (BA)
AUXILIARES: Jucimar dos Santos Dias e Carlos Eduardo Bregalda Gussen (BA)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO:  Matheus Sales e Eduardo (Bah) e Jefferson, Alisson, Madisson e Vitinho (Jac)
RENDA: Não divulgado
PÚBLICO: Nao divulgado
GOLS: Zé Rafael e Juninho (Bah)
BAHIA: Jean, Eduardo, Lucas Fonseca, Éder e Matheus Reis (Juninho Capixaba); Matheus Sales (Juninho), Edson e Renato Cajá; Zé Rafael, Diego Rosa e Gustavo (Hernane).

TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
JACOBINA: Chitão, Ademir, Jefferson, Alisson e Caíque, Marcelo, Naldo (Madisson), Vitinho e Marconi; Marcinho (Marcelo Pano) e Peixoto (Dadai).
TREINADOR: Ricardo Silva

OBSERVAÇÃO: Jogo de estréia do Bahia no Campeonato Baiano de 2017. O Bahia conquistou o seu primeiro triunfo na temporada, na noite do domingo (29/01), em Pituaçu, na estreia do Baianão. O Tricolor venceu o Jacobina por 2 a 0, com gols de Zé Rafael e Juninho. O técnico Guto Ferreira optou por poupar alguns jogadores, como o meia Régis, o zagueiro Tiago e o lateral Armero. Juninho e Hernane, que são titulares, começaram no banco e entraram no decorrer da partida.

O JOGO

Aos 10 minutos, Eduardo cruza na área, Zé Rafael tenta o domínio e a bola sobra pra Renato Cajá, que chuta em cima da defesa. Matheus Sales chega atrasado, aplica carrinho para cima do Jacobina e recebe o cartão amarelo.

Edson faz bela jogada após roubar a bola no meio campo e encontra Zé Rafael em ótimas condições. O jogador avança e bate cruzado, sem chances para o goleiro Tiago Chitão, BAHIA 1 X 0.

Gustavo recebe bom cruzamento da direita e sobe mais que a defesa. A bola passa perto. Aos 29 minutos, Renato Cajá recebe passe de Zé Rafael e tenta finalização da entrada da área, mas a bola desvia na zaga e sai pela linha de fundo. 

Em seguida, Matheus Sales para Caíque com falta. Jogadores do Jacobina chegam a pedir o segundo amarelo, mas o árbitro apenas marca falta. 

Diego Rosa cobra falta, Edson cabeceia com muito perigo. Aos 31. Prevendo uma possível expulsão, Guto Ferreira decidiu mexer na equipe. Saiu Matheus Salles, entrou Juninho. 

Marconi chuta de longe e Jeanzinho por muito pouco não deixa a bola entrar. Jogo fraco tecnicamente, mas o Tricolor seguia melhor. Aos 43, Eder cabeceia após cobrança de escanteio e Chitão faz grande defesa. 

Aos 44, Edson completa finalização de Cajá, mas arbitragem assinala impedimento. A posição do volante era legal.

SEGUNDO TEMPO

Início de segundo tempo e com menos de um minuto de jogo, cartão amarelo para o zagueiro Jefferson, do Jacobina, por aplicar carrinho em Zé Rafael. 

Eduardo é driblado por Caíque e acerta um chute neste jogador, recebe cartão amarelo e assim se inicia uma confusão no gramado, mas que foi logo contornada pelo juiz. 

Aos 22, Juninho cobra escanteio com veneno e quase marca um gol olímpico, mas Tiago Chitão consegue espalmar.  Juninho cobra falta com categoria e amplia para o Esquadrão. Festa em Pituaçu! BAHIA 2 X 0.

Aos 38, o árbitro erra de novo assinalando impedimento de Hernane em lançamento de Juninho. A jogada era legal...

Aos 41, Cajá sente dores musculares e deixa o gramado. Bahia fica com um a menos em campo, por já ter utilizado as três substituições. 

VÍDEOS:
FOTOS:

JOGO 4988

PARTIDA NUM.: 4988
COMPETIÇÃO: Copa do Nordeste (Primeira Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 0 Fortaleza (CE)
DATA: Quinta-feira, 26 de janeiro de 2017
LOCAL: Fortaleza-CE
ESTÁDIO: Governador Plácido Castelo, (Arena Castelão)
JUIZ: Gilberto Rodrigues Castro Júnior (PE)
AUXILIARES: Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE) e Francisco Chaves Bezerra Júnior (PE)
EXPULSÃO: Juninho (Bah)
C. AMARELO: Renê Júnior, Juninho, Jean e Hernane (Bah) e Gastón, Rodrigo Andrade e Vacaria (For)
RENDA: R$ 84.992,00
PÚBLICO: 8.202 pagantes
BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Jackson e Armero (Éder); Juninho, Renê Júnior e Régis; Zé Rafael (Matheus Sales), Hernane e Allione (Diego Rosa).
TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
FORTALEZA: Marcelo Boeck; Jefferson, Heitor, Ligger e Gastón Filgueira; Anderson Uchôa, Vacaria (Allan Vieira) e Rodrigo Andrade (Patuta); Juninho Potiguar (Wesley), Gabriel Pereira e Lúcio Flávio.
TREINADOR: Hemerson Maria

OBSERVAÇÃO: Jogo de estreia do Bahia na Copa do Nordeste de 2017. Mesmo atuando com um jogador a menos (Juninho foi expulso) desde os 37 minutos do primeiro tempo, o Bahia conseguiu segurar um empate sem gols diante do Fortaleza em plena Arena Castelão, pela primeira rodada da Copa do Nordeste de 2017.

Curiosamente, o outro jogo do Grupo B também terminou empatado. O Moto Club recebeu o Altos, no Estádio Castelão, e ficou no 1 a 1. Os gols marcados, porém, fazem com que fiquem na frente, por enquanto, de Bahia e Fortaleza na tabela de classificação.

O JOGO

Com um elenco considerado superior ao do Fortaleza, o Bahia não demorou para tomar o domínio do jogo e poderia ter saído na frente do placar logo aos 18 minutos, quando Régis deixou a bola para Zé Rafael, que deu cruzamento para Hernane Brocador, em posição irregular, mandar para o fundo das redes. O árbitro acabou anulando o lance.

O clima era quente no clássico nordestino e foi ganhar em emoção a partir dos 37 minutos. Juninho impediu que Anderson Uchôa puxasse o contra-ataque e acabou sendo expulso. Com um a mais, o Fortaleza começou a se impor e ameaçar o Bahia, que tinha o duelo nas mãos até então.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, foi um verdadeiro ataque contra-ataque. O Bahia se encolheu todo e tomou um sufoco do adversário. Lúcio Flávio recebeu dentro da área e tentou por cobertura. Jean estava batido, mas Tiago acabou tirando a bola em cima da linha e impedindo que o time baiano saísse atrás do marcador.

Aos 36 minutos, foi a vez de Jean salvar o Bahia. Lúcio Flávio pegou na pequena área e cabeceou para um milagre do goleiro, que foi buscar no ângulo. O Fortaleza tentou de todas as formas, mas não conseguiu passar pelo ferrolho baiano.

VÍDEOS:

FOTOS:

JOGO 4987

PARTIDA NUM.: 4987
COMPETIÇÃO: Flórida Cup Challenge



JOGO: Bahia 0 X 1 Estudiantes de La Plata (ARG)
DATA: Domingo, 15 de janeiro de 2017
LOCAL: Orlando-FLO (EUA)
ESTÁDIO: Bright House Networks Stadium
JUIZ: Andres Pfefferkorn (EUA)
AUXILIARES: Trent Robert Vanhaitsma (EUA) e Anya Voigt (EUA)
EXPULSÃO: Javier Toledo (Est)
C. AMARELO: Edson, Jackson, Juninho, Renê Júnior e Yuri (Bah) e Damonte e Javier Toledo (Est)
RENDA: Não divulgado
PÚBLICO: Não divulgado
GOL: 
Tinga (contra) (Est)

BAHIA: Jean (Anderson); Tinga (Yuri), Tiago (Eder), Jackson (Lucas Fonseca) e Armero (Matheus Reis); Juninho (Edson), Renê Júnior (Júnior Ramos) e Régis (Renato Cajá); Zé Rafael (Diego Rosa), Edigar Junio (Mário) e Hernane (Gustavo).
TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
ESTUDIANTES: Andújar; Sánchez (Aguirregaray), González Pirez, Desábato e Dubarbier (Quintana); Marchioni, Damonte (Braña), Verón (Ivan Gomez) e Cejas (Diarte); Auzqui e Viatri,
TREINADOR: Nelson Vivas

OBSERVAÇÃO: O Bahia foi derrotado por 1 a 0 pelo Estudiantes da Argentina, em Orlando (EUA), em sua despedida da Florida Cup, torneio amistoso de preparação para a temporada de 2017. Assim, a equipe baiana fechou a competição sem nenhuma vitória, na quinta posição entre os seis clubes participantes e na segunda colocação representando o Brasil entre as nações participantes, logo atrás da Alemanha que venceu o torneio com os seus clubes VFL Wolfsburg e Bayer 04.

O único gol da partida aconteceu aos 16 minutos do primeiro tempo. Após cruzamento da direita de Damonte, Tinga tentou afastar o perigo, mas acabou cabeceando a bola para dentro do próprio gol, sem chances de defesa para o goleiro Jean.

O confronto realizado no Bright House Stadium, marcou a reestreia de Verón pelo Estudiantes, time que o revelou para o futebol. O veterano volante de 41 anos de idade, que resolveu retornar aos gramados neste ano após ter se aposentado em 2014, teve uma atuação discreta, apenas mostrando alguns lampejos do craque que foi ao longo de sua carreira, na qual defendeu a seleção argentina entre 1996 e 2010.

O JOGO

Em campo, Verón mostrou a velha habilidade nas bolas paradas, cobrando faltas e escanteios, mas foi sacado após o intervalo para a entrada de Ivãn Gomez. Pouco antes disso, chegou a sofrer uma falta dura de Renê Júnior aos 46 minutos do primeiro tempo.

SEGUNDO TEMPO

Apesar de ter sido de caráter amistoso, o jogo foi nervoso e cheio de lances duros, o que resultou na aplicação de sete cartões amarelos e um vermelho. A expulsão, por sua vez, aconteceu por causa de uma agressão.

Pouco depois de uma cobrança de escanteio do Estudiantes em que os jogadores se estranharam dentro da grande área, Toledo, da equipe argentina, deu um soco em Lucas Fonseca e acabou sendo excluído de campo pelo árbitro da partida, aos 39 minutos da etapa final. Mesmo com um homem a mais em campo, o time baiano não teve força para buscar o empate.

VÍDEOS:
video
Bastidores do ultimo treino para o jogo - 14/01/2017

video
O Bahia na Parada da Disney - 14/01/2017


FOTOS:

JOGO 4986

PARTIDA NUM.: 4986
COMPETIÇÃO: Flórida Cup Challenge



JOGO: Bahia 0 X 0 VFL Wolfsburg  (ALE)
DATA: Quinta-feira, 12 de janeiro de 2017
LOCAL: Orlando-FLO (EUA)
ESTÁDIO: ESPN Wide World of Sports Complex
JUIZ: Vincent Apple-Chiarella (EUA)
AUXILIARES: Matthew Miscannon (EUA) e Kersten Schroeder (EUA)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Renê Júnior e Gustavo (Bahia) / Reichwein, Ziegele e Herrmann (Wolfsburg)
RENDA: Não divulgado
PÚBLICO: Não divulgado
BAHIA: 
Jean (Anderson); Tinga (Yuri/Rodrigo Becão), Tiago (Éder), Jackson (Lucas Fonseca) e Armero (Matheus Reis); Renê Júnior (Feijão), Juninho (Edson) e Régis (Renato Cajá); Zé Rafael (Diego Rosa), Edigar Junio (Mário/Kaynan) e Hernane (Gustavo).
TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
WOLFSBURG: Brunst; Kleihs, Klamt (Reshbecaj), Ziegele, Adbat; Conde, Stutter; Wimmer, Stolze (Reichwein), Herrmann; Gaines (Badu).
TREINADOR: Rüdiger Ziehl

OBSERVAÇÃO: Florida Cup Challenge é um torneio de pontos corridos com três rodadas, em formato similar a Copa Davis de tênis. Neste formato, cada time joga 2 partidas e lutando pelos pontos para o seu país. Vitória = 3 pontos, empate = 1 ponto e vitória por cobranças de pênaltis equivale a 1 ponto extra. O País com maior número de pontos vence o torneio, sendo que o primeiro critério de desempate, caso seja necessário, seria o saldo de gols, seguido de gols marcados.

O Bahia iniciou a temporada de 2017 com uma derrota nos pênaltis para o Wolfsburg, da Alemanha,
 neste primeiro duelo do Challenge Clash of Nations, da Flórida Cup,  Torneio Internacional onde o Tricolor Baiano representou o Brasil ao lado do Atlético-MG. Os times empataram por 0 a 0, no ESPN Wide World of Sports Complex, em Orlando (EUA), e nos pênaltis os alemães venceram por 3 a 2.


O JOGO

Em ritmo de pré-temporada, Wolfsburg e Bahia fizeram um primeiro tempo com muitos erros de conclusão e poucas chances de gol. O time brasileiro teve maior posse de bola, é verdade, mas não conseguiu assustar o goleiro alemão. Até por isso, o lance que mais agitou o confronto foi uma dividida do zagueiro Tiago com o goleiro Brunst. O tempo fechou entre os times e a turma do deixa disso precisou entrar em ação.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo os times mudaram bastante. Não só em substituições, mas a postura dentro de campo também. Os alemães saíram mais para o jogo e envolveram o Tricolor. Aos 31 minutos o Wolfsburg quase abriu o placar. Kleihs cobrou escanteio e a bola, venenosa, carimbou a trave.

O Bahia pouco fez na etapa final e resolveu se arriscar no final do tempo regulamentar. Primeiro foi Kaynan, aos 40. Ele fez jogada individual, cortou para o maio e chutou próximo ao travessão. Depois, aos 42 foi o meia Renato Cajá. O ‘maestro’ cobrou falta e quase acertou o canto do goleiro. A decisão do vencedor sairia apenas nos pênaltis.

Nas cobranças o time brasileiro mostrou que ainda está ‘enferrujado’. De sete cobranças, o Bahia errou quatro. Perderam: Gustavo, Kainan, Renato Cajá e Feijão. Enquanto o Wolfsburg errou dois e levou a melhor. Vale dizer que o Wolfsburg jogou essa partida com um time formado por jogadores do seu time B mesclados com jogadores do seu time Sub-23, enquanto o Bahia jogou com a sua nova equipe principal.

VÍDEOS:
video
video
Bastidores do último treino do Bahia
antes do jogo 11/01/2017


FOTOS:

JOGO 4985

PARTIDA NUM.: 4985
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Segunda Fase - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 1 X 2 Atlético (GO)
DATA: Sábado, 26 de novembro de 2016
LOCAL: Goiânia-GO
ESTÁDIO: Olímpico Pedro Ludovico
JUIZ: Braulio da Silva Machado (SC)
AUXILIARES: Kleber Lucio Gil (SC) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Renê Junior, Jackson, Hernane e Luiz Antônio (Bah) e Jorginho, Júnior Viçosa, Matheus Ribeiro e Magno Cruz (Atl)
RENDA: 172.305,00
PÚBLICO: 10.906 pagantes
GOLS:  Edigar Junio (Bah) e Júnior Viçosa e Jorginho (Atl)
BAHIA: 
Muriel, Eduardo (Tinga), Tiago, Jackson e Moisés; Renê Júnior, Luiz Antônio, Victor Rangel (Allano) e Régis (Renato Cajá);Edigar Junio e Hernane. 
TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
ATLÉTICO: Kléver; Matheus Ribeiro, Marllon, Ricardo Silva e Romário; Michel, Pedro Bambu, Magno Cruz (Luiz Fernando) e Jorginho; Júnior Viçosa (Alison) e Gilsinho (Marquinho).
TREINADOR: Marcelo Cabo

OBSERVAÇÃO: Trigésimo oitavo e último jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro da Série-B de 2016. O Bahia perdeu, mas mesmo assim conseguiu o acesso a Série-A do Brasileirão em 2017 jogando esta partida pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O Tricolor Baiano não aguentou a pressão do Atlético-GO no estádio Olímpico, em Goiânia, e acabou derrotado por 2 a 1. Como o Náutico perdeu para o Oeste, o esquadrão de aço de Guto Ferreira ficou com 63 pontos na quarta posição da tabela, e assim conseguiu o seu retorno à elite do Futebol Brasileiro depois de dois anos.

O JOGO

Como era esperado o primeiro tempo foi bem jogado, com boas jogadas criadas nos dois lados. O lance de perigo inicial foi do Bahia. Após cobrança de escanteio de Luiz Antônio, Tiago subiu mais que toda a defesa adversária e cabeceou, mas a bola foi por cima da baliza defendida por Kléver.

Depois de insistir bastante, os comandados de Guto Ferreira finalmente balançaram as redes. Após cruzamento de Régis, a bola atravessou toda a área do Atlético-GO até chegar em Edigar Junio, que se esforçou para desviar e fazer o gol.

Antes do final da primeira etapa, o time mandante conseguiu o gol de empate. Aos 48 minutos, Marllon chegou de surpresa pela direita e levantou para a área. Gilsinho ajeitou para trás e Júnior Viçosa finalizou com estilo, sem chances de defesa para Muriel.

SEGUNDO TEMPO

Mesmo ciente de que o empate bastava para o acesso, o Bahia veio com ainda mais vontade na segunda etapa. Logo aos dois minutos, após cobrança de lateral para a área, Hernane desviou e Kléver precisou se esforçar para fazer a defesa.

Assim que escolheu segurar o jogo, o Tricolor Baiano acabou surpreendido e levou o gol da virada. Aos 26 minutos, Jorginho aproveitou o rebote do goleiro Muriel e tocou para o fundo das redes.

Vale aqui fazer algumas considerações que deveriam ter sido levantas pela mídia e pelos torcedores do tricolor baiano, Se não vejamos, apesar do Bahia ter alcançado o acesso, o mesmo só foi possível graças ao técnico Guto Ferreira que conseguiu formar um grupo comprometido e voluntarioso apesar de ser fraco tecnicamente, coisa que em grande parte só foi possível devido ao baixo nível técnico da competição, talvez o mais baixo de toda a história da Série-B.

Vale lembrar também que apesar da competência do técnico Guto Ferreira, na ultima rodada o Bahia foi o único que confirmou a sua classificação com uma derrota, isto porque (felizmente pra nós) o Náutico foi incompetente em fazer valer o seu mando de campo contra o Oeste-SP, um dos piores times do campeonato.

Foi por muito pouco leitor e tudo isso gracas a uma diretoria sob o comando de um presidente infantil, incompetente e ainda por cima extremamente arrogante, mas que tem como mérito a arrumação financeira do clube (isto é verdade), porém não entende nada de futebol e jamais deveria ser presidente, no máximo um diretor financeiro.

VÍDEO:

FOTOS: