Assuntos

quinta-feira, 20 de julho de 2017

JOGO 5030

PARTIDA NUM.: 5030
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 2 X 0 Atlético (MG)
DATA: Quarta-feira, 19 de julho de 2017
LOCAL: Belo Horizonte-MG
ESTÁDIO: 
JUIZ: 
AUXILIARES: 
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: 
RENDA:
PÚBLICO: 
GOLS: Juninho (2) (Bah)
BAHIA: 
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
ATLÉTICO:
TREINADOR: 

OBSERVAÇÃO: Décimo quinto jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017.

JOGO 5029

PARTIDA NUM.: 5029
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 1 Avaí (SC)
DATA: Domingo, 16 de julho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Roberto Santos (Pituaçu)
JUIZ: 
AUXILIARES: 
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: 
RENDA:
PÚBLICO: 
GOLS: 
BAHIA: 
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
AVAÍ 
TREINADOR: 

OBSERVAÇÃO: Décimo quarto jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017.

JOGO 5028

PARTIDA NUM.: 5028
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 3 X 0 Ponte Preta (SP)
DATA: Quarta-Feira, 12 de julho de 2017
LOCAL: Campinas-SP
ESTÁDIO: Moisés Lucarelli
JUIZ: Rafael Traci (PR)
AUXILIARES: 
Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Tiago e Zé Rafael (Bah) e Fernandinho (PoP)
RENDA: R$ 82.165,00
PÚBLICO: 3.858 pagantes (4.181 no total)
GOLS: Rodrigão (2) e Renê Júnior (Bah)
BAHIA: 
Jean; Eduardo. Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Matheus Sales, Renê Júnior, Régis (Vinícius) e Zé Rafael (Juninho); Mendoza e Rodrigão (Gustavo Ferrareis).
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Kadu e Fernandinho; Fernando Bob, Wendel (Felipe Saraiva), Jadson (Xuxa) e Claudinho (Yuri); Emerson Sheik e Lucca.
TREINADOR: Gilson Kleina

OBSERVAÇÃO: Décimo terceiro jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Jogando no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, o Tricolor da Boa Terra bateu por 0 X 3 a Ponte Preta do Técnico Gilson Kleina com dois gols do atacante Rodrigão emprestado pelo Santos ao Bahia e que havia estreado no jogo anterior contra o Fluminense-RJ, e um do volante Renê Júnior, que curiosamente é um jogador também emprestado aos baianos, só que pela própria Ponte Preta.

Com este resultado nesta 13ª rodada do Brasileirão de 2017, o Bahia encerrou a sequencia de sete jogos sem vencer e empurrou o clube do interior paulista para a briga contra a zona de rebaixamento. Inclusive essa foi a primeira vitória do Bahia fora de casa em toda a competição, o que o colocou com 15 pontos, igualado com a própria Ponte Preta, mas entendo à frente pelo saldo de gols

O JOGO

Nem bem começou a partida, e o Bahia mostrou as suas garras, quando aos três minutos do primeiro tempo, numa arrancada pela direita do clube baiano, Zé Rafael foi derrubado pelo ponte pretano Fernandinho. Assim sendo, o meia Régis cobrou a falta colocando a bola na marca do pênalti para Rodrigão tocar de cabeça no contrapé do goleiro Aranha e fazer PONTE PRETA 0 X 3 BAHIA.

Em vantagem na partida o Bahia então recuou a marcação e deixou a bola com a Ponte Preta, que tinha grandes dificuldades para criar. Artilheiro do grupo, Lucca era o que mais arriscava, principalmente nas bolas paradas. A principal oportunidade para o time da casa aconteceu aos 13 minutos, quando Fernando Bob calibrou o pé e conseguiu acertar um lançamento longo para Claudinho. O jovem atacante dominou nas costas da marcação baiana, e frente a frente com Jean, conseguiu a proeza de finalizar pela linha de fundo, o que deixou a torcida campinense ainda mais enfurecida e rendeu vaias ao jogador, que mais tarde precisou ser substituído pelo técnico Gilson Kleina , deixando o gramado visivelmente irritado.

Mas as falhas do clube campinense não estavam apenas na parte ofensiva, já que antes do apito final do primeiro tempo, o atacante Rodrigão teria em dois cochilos da marcação ponte pretana pelo menos ainda duas oportunidades de ampliar a vantagem para o Tricolor da Boa Terra, demostrando assim que o atacante baiano estava numa noite inspirada.

SEGUNDO TEMPO

Já no início da segunda etapa, não demorou muito para Rodrigão comprovar a teoria de que estava realmente numa noite inspirada, pois aos oito minutos, após um chutão do zagueiro baiano Lucas Fonseca, a bola acabou nos pés do atacante, que dominou bonito, tirou Aranha pra dançar, cortou pra direita e bateu sem goleiro fazendo PONTE PRETA 0 X 2 BAHIA, e levando ao desespero a torcida campinense presente no Moisés Lucarelli. Entretanto infelizmente no lance o atacante baiano acabou pisando em falso no gramado e precisou ser substituído por Ferrareis.

Porém se o azar atingiu em cheio o atacante baiano, para a Ponte Preta as coisas continuaram ruins e tudo foi por água abaixo com este segundo gol de Rodrigão. A torcida campinense perdeu a paciência e passou a vaiar o seu time, que em campo se mostrava sem nenhuma estratégia para virar a partida. O técnico Gilson Kleina inclusive abandonou o esquema com três volantes e lançou Felipe Saraiva e Xuxa nos lugares de Wendel e Jadson, mas não tinha cartas na manga para encontrar espaço na marcação do Bahia.

Para piorar ainda mais as coisas o Bahia fechou o caixão aos 39 minutos, quando o meia Vinícius teve tranquilidade para encontrar o Renê Júnior entre os zagueiros e tocou para o volante, que recebeu, dominou e bateu forte para vencer o goleiro Aranha e fazer PONTE PRETA 0 X 3 BAHIA, dando assim números finais a partida.


VÍDEO:


FOTOS:

quinta-feira, 6 de julho de 2017

JOGO 5027

PARTIDA NUM.: 5027
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 1 Fluminense (RJ)
DATA: Domingo, 09 de julho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
AUXILIARES: 
Daniel Paulo Ziolli (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Armero, Lucas Fonseca e Matheus Sales (Bah) e Henrique Dourado (Flu)
RENDA: R$ 427.932,50
PÚBLICO: 18.267 pagantes

GOLS: João Paulo (Bah) e Wellington Silva (Flu)
BAHIA: Jean; Eduardo, Lucas Fonseca, Tiago e Armero; Renê Júnior, Matheus Sales, Zé Rafael (João Paulo), Régis e Mendoza; Vinícius (Rodrigão).
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
FLUMINENSE: Júlio César;  Lucas, Henrique, Reginaldo e Mascarenhas; Orejuela, Marlon Freitas e Gustavo Scarpa; Marquinhos Calazans (Maranhão), Wellington Silva (Marcos Júnior) e Henrique Dourado (Pedro).
TREINADOR: Abel Braga

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. O inferno astral do Bahia continuou com o resultado desta partida, afinal o time comandado pelo Técnico Jorginho criou muitos lances de perigo, mas jogando em casa na Fonte  Nova acabou empatando em 1 X 1 com o Fluminense-RJ,  e completou assim um mês sem vitória no Campeonato Brasileiro.

A última vitória do Bahia ocorreu no dia 8 do mês de junho, quando naquela oportunidade bateu o Cruzeiro-MG por 1 a 0 jogando na Fonte Nova. Porém de lá até esta partida, aconteceram três empates e quatro derrotas,  e com 11 pontos, o time só não ficou na zona de rebaixamento por ter um melhor saldo de gols (-1 contra -5) em relação ao seu grande rival, o Vitória.

O JOGO

O Bahia começou com tudo, tanto que a primeira finalização aconteceu logo aos dois minutos., quando um chute de jogador tricolor Renê Júnior saiu raspando a trave do goleiro fluminense Júlio César.

No entanto a resposta carioca foi mortal, quando aos 11 minutos, o jogador Lucas cruzou e o atacante Henrique Dourado desviou de letra, porém o zagueiro tricolor Tiago estava lá para salvar a bola em cima da linha, mas para desespero da torcida baiana a bola sobrou para Wellington Silva fazer BAHIA 0 X 1 FLUMINENSE. Na sequência, o volante baiano Renê Júnior bateu colocado e a bola passou rente ao travessão, quase empando a partida.

Atrás do placar, o Tricolor Baiano não deixava o Fluminense respirar pressionando fortemente o adversário. E assim, na melhor oportunidade de empate no primeiro tempo, o atacante Mendoza tabelou com meia Vinícius e, livre de marcação, perdeu um gol incrível cabeceando para fora com o gol totalmente aberto.

Aos 32 minutos, o lateral colombiano Armero do Bahia foi até a linha de fundo e cruzou para trás. Mendoza, novamente, cabeceou para defesa segura do goleiro fluminense Júlio César.  O goleiro do tricolor carioca ainda fez mais duas grandes intervenções em finalizações de Régis e Renê Júnior, e quando Júlio César não conseguia defender, o zagueiro Henrique ajudava - o salvando o clube carioca em bolas perigosas. E assim terminou o primeiro tempo com a reclamação dos baianos por dois pênaltis não marcados pelo juiz da partida.

SEGUNDO TEMPO

O Bahia voltou com uma mudança do intervalo com a entrada do atacante estreante Rodrigão no lugar de Vinícius, e Logo no primeiro minuto, Zé Rafael arriscou da entrada da área e bateu rente a trave do goleiro Júlio César. Na sequência, depois de um bate e rebate, a bola caiu nos pés de Régis. O meia tricolor soltou a bomba e mandou para fora.

Jogando no contra-ataque, o Fluminense assustou com Henrique Dourado, quando Wellington Silva cruzou e o atacante chutou de primeira, mas mandou a bola por cima.

A torcida do tricolor baiano presente na Arena Fonte Nova já começava a perder a paciência com o time, e de tanto insistir, os donos da casa chegaram ao empate, quando aos 38 minutos o jovem atacante João Paulo, que havia acabado de entrar no lugar de Zé Rafael, acertou um bonito chute de fora da área fazendo BAHIA 1 X 1 FLUMINENSE.

Depois do gol baiano, o Bahia prosseguiu agredindo com algumas jogadas aéreas, mas sem sucesso, enquanto o Fluminense, satisfeito com o empate, segurou o resultado até o final da partida.

VÍDEOS:




FOTOS:

quinta-feira, 29 de junho de 2017

JOGO 5026

PARTIDA NUM.: 5026
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 0 Vitória (BA)
DATA: Domingo, 02 de julho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Manoel Barradas (Barradão)
JUIZ: Raphael Claus (SP)
AUXILIARES: 
Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Zé Rafael, Tiago e Allione (Bah) e André Lima, Kanu, Geferson, Patric (Vit)
RENDA: R$ 195.833,50
PÚBLICO: 
10.741 pagantes (torcida única)

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Éder e Armero; Matheus Sales, Renê Júnior, Régis (Vinícius), Zé Rafael (Juninho) e Allione (Douglas); Mendoza.
TREINADOR: Luís Quintanilha (substituto)
VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Kanu, Ramón e Geferson; Willian Farias, Yago, Cleiton Xavier (Neílton) e Carlos Eduardo (Gabriel Xavier); Kieza (David) e André Lima.
TREINADOR: Alexandre Galo

OBSERVAÇÃO: Décimo primeiro jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. O Tricolor Baiano conseguiu um empate em 0 X 0 jogando contra o Vitória no Estádio do Barradão em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2017.

O rubro-Negro Baiano se apresentou melhor nesta partida , mas não conseguiu deixar o estádio com um triunfo no clássico Ba-Vi, onde os dois times fizeram uma partida de tempos distintos, mas não conseguiram saír do empate por 0 a 0.

Com este resultado, o Bahia conseguiu deixar a zona de rebaixando, indo para a 16ª posição, com 11 pontos, mesmo saldo de gols do São Paulo, mas com mais gols marcados que o clube paulista (13 contra dez). Já o Rubro negro seguiu na zona de degola, com nove pontos.

Como foi expulso na rodada anterior, diante do Flamengo, o treinador Jorginho não pôde comandar o Bahia e sequer ir aos vestiários no intervalo. Por isso, o time teve o comando do auxiliar técnico Luís Quintanilha na área técnica.

O JOGO

O Vitória começou a partida pressionando o Bahia, que só conseguia deixar o campo de defesa com lançamentos diretos. Desta forma, o time de Alexandre Gallo criou boas oportunidades de gol. Logo aos cinco minutos, Kieza recebeu o passe pelo alto, dominou no peito e chutou para uma defesa espetacular de Jean.

O goleiro do Bahia precisou trabalhar de novo aos 29 minutos. Geferson subiu com liberdade pela esquerda e levantou para a área. André Lima usou de sua boa impulsão para cabecear no ângulo, mas o camisa 1 conseguiu chegar e espalmar para escanteio.

SEGUNDO TEMPO

O jogo caiu de rendimento na segunda etapa. Cansado, o Vitória não conseguiu manter a pressão no campo adversário. Aos 20 minutos, David tentou a jogada individual, deixou Armero para trás e chutou cruzado, mas Jean não teve dificuldades para defender.

A melhor oportunidade foi desperdiçada por Kanu, aos 34 minutos. Depois de cobrança de falta para a área, a bola sobrou para o zagueiro, de frente para o gol. O chute saiu torto, ao lado.

VÍDEOS:



FOTOS:

JOGO 5025

PARTIDA NUM.: 5025
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 1 Flamengo (RJ)
DATA: Domingo, 25 de junho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: 
: Igor Junio Benevenuto (MG)

AUXILIARES: Marcio Eustaquio Santiago (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
EXPULSÃO: Lucas Fonseca (Bah)
C. AMARELO: Matheus Sales (Bah) e Guerrero, Rodinei e Éverton Ribeiro (Fla)
RENDA: R$ 730.534,50
PÚBLICO: 14.065 pagantes
GOL: Berrío (Fla)
BAHIA: Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Matheus Sales, Juninho, Vinícius (Rodrigo Becão) e Allione (Régis Souza); Zé Rafael e Edigar Junio (Mendoza).
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
FLAMENGO: Thiago, Rodinei, Rhodolfo, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Willian Arão (Berrío), Diego e Everton Ribeiro (Cuéllar); Matheus Sávio (Vinícius Júnior) e Guerrero.
TREINADOR: Zé Ricardo

OBSERVAÇÃO: Décimo jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Com a estreia do meia Éverton Ribeiro no Flamengo, o Tricolor Baiano jogou e perdeu por 1 X 0 na Arena Fonte Nova pela décima rodada do Brasileirão de 2017.

Com a derrota o Bahia permaneceu com dez pontos e se posicionou entre os últimos colocados do Campeonato Brasileiro, além de chegar a sua quinta partida sem vitórias.

Já o Flamengo chegou aos 17 pontos e pulou para a terceira colocação da tabela, entrando no G4 da competição.

JOGO

O jogo foi muito intenso desde o início, mas o Bahia teve mais ações ofensivas nos primeiros minutos. Aos 9, Zé Rafael se aproveitou de um vacilo de Willian Arão, roubou a bola do adversário e chutou forte, de fora da área, levando perigo para o goleiro Thiago, que viu a bola passar raspando a sua trave direita.

Aos 20 minutos, novamente Zé Rafael levou muito perigo para o gol do time rubro-negro. O atacante insistiu em uma jogada na linha de fundo e contou com a falha do zagueiro Rafael Vaz para dominar e cruzar, mas Rhodolfo foi muito bem no lance e cortou a jogada.

Aos 30 minutos, o zagueiro Lucas Fonseca, do Bahia, que já havia recebido um cartão amarelo, foi expulso de campo, após uma jogada agressiva contra o atacante Guerrero, que também foi advertido com um cartão amarelo. Aos 35, o estreante Éverton Ribeiro, que fazia uma boa partida, também foi punido com um cartão amarelo.

Aos 44 minutos, o atacante argentino Allione aproveitou um espaço no bico esquerdo da área e mandou de perna direita para o gol, mas Thiago espalmou em uma ótima defesa.

Aos 46, o Flamengo levou perigo em um cruzamento da esquerda, feito pelo lateral Trauco, para uma cabeçada perigosa de Willian Arão, mas a bola saiu pela linha de fundo.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, as equipes voltaram dispostas a abrir o marcador. Aos 11 minutos, Juninho cobrou uma falta na meia lua com muito perigo, a bola passou raspando a trave superior de Thiago.

Aos 18 minutos, Éverton Ribeiro levantou na área - em cobrança de falta pela direita do ataque - para o peruano Guerrero, que não conseguiu alcançar a bola.

Aos 24 minutos, o garoto Vinícius Junior se livrou da marcação de Eduardo com um toque por cima do lateral e cruzou na área, mas a zaga interceptou o passe.

Aos 27 minutos, o meia Éverton Ribeiro recebeu de Diego e deu um belo passe para o colombiano Orlando Berrío, que dominou e bateu cruzado para acertar o canto direito do goleiro Jean e fazer BAHIA 0 X 1 FLAMENGO.

Aos 30 minutos, o técnico Jorginho, do Bahia, reclamou da arbitragem e foi expulso pelo mineiro Igor Junio Benevenuto.

VÍDEOS:


FOTOS:

quarta-feira, 21 de junho de 2017

JOGO 5024

PARTIDA NUM.: 5024
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 3 Corinthians (SP)
DATA: Quinta-feira, 22 de junho de 2017
LOCAL: São Paulo-SP
ESTÁDIO: Arena Corinthians (Itaquerão)
JUIZ: 
Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)

AUXILIARES: Helcio Araujo Neves (PA) e Jose Ricardo Guimarães Coimbra (PA)
EXPULSÃO: Renê Júnior (Bah) e Gabriel (Cor)
C. AMARELO: Allione e Rodrigo Becão (Bah) e Balbuena e Romero (Cor)
RENDA: R$ 1.504.387,20.
PÚBLICO: 
34.250 pagantes. 
GOLS: Jô, Balbuena e Marquinhos Gabriel (Cor)
BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Rodrigo Becão e Matheus Reis; Renê Júnior, Feijão e Vinícius (Régis); Allione (Gustavo), Zé Raphael e Edigar Junio (João Paulo)
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
CORINTHIANS: Cássio;  Fagner, Pablo, Balbuena e Guilherme Arana;  Gabriel, Maycon, Jadson (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho (Camacho) e Romero; Jô (Kazim)
TREINADOR: Fábio Carille

OBSERVAÇÃO: Nono jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Em um jogo diferente do habitual o Corinthians bateu por 3 X 0 o Bahia no Itaquerão pela nona rodada do Brasileirão 2017. De rotineiro, apenas o atacante Jô que marcou mais um gol e comandou a vitória do Corinthians por 3 a 0. Porém por expulsões e pressão do rival fizeram com que o placar para os paulistas fosse construído com muito mais dificuldade. O resultado não mostrou exatamente o que foi a partida, já que este foi um dos confrontos em que o time paulista mais sofreu jogando em casa para ganhar.

O JOGO

O Corinthians entrou em campo líder do campeonato e com força máxima, jogando contra um Bahia que estava mais perto da zona de rebaixamento do que os primeiros lugares. Mas o favoritismo acabou assim que a bola começou a rolar.

O Bahia surpreendeu e, ao contrário da maioria dos outros times, foi para cima do Corinthians, mesmo jogando na arena. A postura assustou o time da casa, que contou com Cássio inspirado para não levar gol. O time baiano mostrou o motivo de ter iniciado a rodada como a equipe que mais chutava em direção ao gol, dentre os 20 clubes da Série A.

Acuado, o Corinthians jogou no contra-ataque e os 24 minutos , Jô recebeu passe de Fagner, driblou o goleiro e mandou para as redes, fazendo CORINTHIANS 1 X 0 BAHIA.

A boa organização do Bahia dificultou a vida de Fábio Carille, que do banco de reservas gritava e tentava organizar sua equipe. Os corintianos não conseguiam criar com qualidade, muito por causa da noite pouco inspirada de Jadson., e a primeira etapa terminou assim.

SEGUNDO TEMPO

Na volta para o segundo tempo, o Bahia voltou ainda mais no ataque e obrigou o Corinthians a viver a amarga e rara experiência de ser pressionado dentro de casa.

A noite ainda reservava mais um percalço. O volante Gabriel, que também não fez uma grande partida, foi expulso após cometer uma falta. Punição exagerada pelo árbitro, que talvez tenha tentado compensar pouco depois, dando o cartão vermelho para Renê Júnior. Ou seja, tentou corrigir o erro cometendo outro.

Com dez em cada lado, Jorginho e Carille demonstraram suas intenções. À frente no placar, o corintiano fechou a equipe, colocando Camacho no lugar de Rodriguinho, e o baiano mandou seu time ainda mais para cima, com a entrada de Régis, Gustavo e João Paulo.

Mas para ser líder, é preciso também um pouco de sorte. Aos 34, Balbuena aproveitando uma cobrança de escanteio fez CORINTHIANS 2 X 0 BAHIA, dando alívio aos donos da casa.

E aos 48, claramente abalados por terem lutado em vão, os baianos se atrapalharam na saída de bola, Marquinhos Gabriel recuperou a pelota e bateu por cima do goleiro fazendo CORINTHIANS 3 X 0 BAHIA e dando assim números finais a partida.

VÍDEO:



FOTOS:

sexta-feira, 16 de junho de 2017

JOGO 5023

PARTIDA NUM.: 5023
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 2 X 4 Palmeiras (SP)
DATA: Domingo, 18 de junho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: 
Rodolpho Toski Marques (PR)

AUXILIARES: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Keno, Róger Guedes, Willian e Juninho (Pal)
RENDA: R$ 1.052.472,00
PÚBLICO: 
33.166 pagantes (33.621 total)
GOLS: Vinícius e João Paulo (Bah) e Róger Guedes, Keno, Yerry Mina e Willian (Pal)
BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Rodrigo Becão e Matheus Reis (Armero); Juninho (João Paulo), Renê Júnior, Vinícius (Gustavo Ferrareis) e Zé Rafael; Mendoza e Edigar Junio.
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke (Tchê Tchê), Yerry Mina, Juninho e Egídio; Thiago Santos (Luan), Jean e Guerra; Willian, Róger Guedes e Keno (Erik).
TREINADOR: Alexi Stival (Cuca)

OBSERVAÇÃO: Oitavo jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Com gols de Róger Guedes, Keno, Mina e Willian, o atual campeão brasileiro surpreendeu  o Bahia jogando na Arena Fonte Nova e vencendo o Tricolor Baiano por 4 a 2, impondo assim ao clube baiano a sua primeira derrota dentro de casa neste Brasileirão 2017.

A vitória levou o Palmeiras aos dez pontos e distanciando-o assim da zona de rebaixamento. Já o Bahia permaneceu com o mesmo número de pontos, mas ficou logo à frente pelos números de gols marcados (13 a 11).

O JOGO

Pelo retrospecto até o início do confronto, o cenário estava desenhado para outro tropeço do Palmeiras. O time de Cuca carregava no histórico quatro derrotas em quatro jogos realizados como visitante. Pior ainda, sequer havia marcado gols. Do outro lado, o Bahia vinha de três vitórias em três jogos como mandante na Fonte Nova.

Desta vez o Palmeiras escreveu uma história bem diferente. Foi organizado taticamente e eficiente nas oportunidades que criou. O destaque do jogo foi Guerra. O venezuelano participou diretamente de dois gols (com duas assistências), foi voluntarioso na marcação e, com o time bem distribuído no gramado, participou ativamente das principais jogadas ofensivas.

No início do primeiro tempo o Palmeiras tentou surpreender o Bahia. Escalado com três atacantes (Willian, Róger Guedes e Keno), Cuca instruiu a equipe a avançar a marcação no campo de ataque e não dar espaços ao adversário na saída de bola.

Até os 10 minutos a estratégia não funcionou como o planejado e o Bahia chegou duas vezes com perigo ao gol de Fernando Prass. Com o desenrolar do jogo, a marcação encaixou, e o Palmeiras não deu espaços para o adversário criar.

Equilibrado e bem organizado em campo, o Palmeiras abriu o placar aos 17 minutos. Guerra lançou Keno, que entrou livre dentro da área e caiu quando estava sendo acossado pelo zagueiro Rodrigo Becão. O juiz da partida marcou um penalty que não existiu prejudicando o Bahia Na cobrança, Roger Guedes marcou o primeiro gol da partida, BAHIA 0 X 1 PALMEIRAS.

O Bahia não se intimidou e chegou a empatar o confronto quatro minutos depois, mas o assistente Bruno Boschilia acertou ao anotar impedimento de Tiago.

A marcação palmeirense continuou eficiente, até que uma bela jogada individual de Zé Rafael nos minutos finais do primeiro tempo desmoronou a defesa do clube paulista. O meia do Bahia recebeu na entrada da área, colocou a bola entre as pernas de Mina e chutou. Prass deu rebote e Edigar Junio cabeceou. Prass fez outra bela defesa, até que Vinícius empatou o jogo. BAHIA 1 X 1 PALMEIRAS.

SEGUNDO TEMPO

No início do segundo tempo, logo aos três minutos, o Palmeiras marcou o segundo gol com Keno, que acertou um belo chute de fora da área, BAHIA 1 X 2 PALMEIRAS.

O gol sofrido logo no início da etapa final abalou o Bahia. O time caiu de rendimento e poucas oportunidades conseguiu criar. Em vantagem no placar, o Palmeiras pouco se arriscou e o jogo, diferentemente do primeiro tempo, não teve a mesma emoção.

A emoção só voltaria nos minutos finais, quando o Palmeiras marcou o seu terceiro gol com Mina, de cabeça, logo após cobrança de falta de Jean, BAHIA 1 X 3 PALMEIRAS.

Porém nem deu tempo para os palmeirenses comemorarem pois dois minutos depois, João Paulo fazia o segundo gol do Bahia, BAHIA 2 X 3 PALMEIRAS.

E Já nos acréscimos, Willian fechou o placar com um belo chute de fora da área para sacramentar a vitória, BAHIA 2 X 4 PALMEIRAS.

VÍDEO:



FOTOS:


IMAGEM:
Frete e verso do ingresso da Partida.