Assuntos

quinta-feira, 20 de julho de 2017

JOGO 5030

PARTIDA NUM.: 5030
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 2 X 0 Atlético (MG)
DATA: Quarta-feira, 19 de julho de 2017
LOCAL: Belo Horizonte-MG
ESTÁDIO: 
JUIZ: 
AUXILIARES: 
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: 
RENDA:
PÚBLICO: 
GOLS: Juninho (2) (Bah)
BAHIA: 
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
ATLÉTICO:
TREINADOR: 

OBSERVAÇÃO: Décimo quinto jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017.

JOGO 5029

PARTIDA NUM.: 5029
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 1 Avaí (SC)
DATA: Domingo, 16 de julho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Roberto Santos (Pituaçu)
JUIZ: Eduardo Aquino Valadao - GO
AUXILIARES: 
Fabricio Vilarinho da Silva (GO)  Cristhian Passos Sorence - GO
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Renê Júnior e Feijão no banco (Bah)
RENDA: R$ 196.162,00
PÚBLICO: 12.389 pagantes
GOLS: Renê Júnior (Bah) e Júnior Dutra (Ava)
BAHIA: 
Jean; 
Eduardo, Éder, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Renê Júnior, Matheus Sales, Allione (Gustavo Ferrareis) e Régis (Vinicius); Mendoza (Junior Brumado) e João Paulo.
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
AVAÍ: Douglas Friedrich; Leandro Silva, Alemão, Betão e Capa; Lucas Otávio (Lourenço), Wellington Simião e Pedro Castro; Junior Dutra, Joel (Willians) e Romulo (João Paulo). 
TREINADOR: Claudinei Oliveira

OBSERVAÇÃO: Décimo quarto jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. O Bahia empatou em Salvador por 1 X 1 como o Avaí-SC jogando no Estádio de Pituaçu pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um gol do jogador Júnior Dutra aos 39 minutos do segundo tempo, o time do técnico Claudinei Oliveira seguiu com a esperança de deixar a zona de rebaixamento. Do outro lado, o time da Boa Terra completou quatro jogos sem perder, mas não pode comemorar, já que deixou escapar os três pontos.Com este resultado, o Bahia perdeu uma posição, caindo para a 14ª com apenas 16 pontos e seguiu na cola da degola.

O JOGO

Logo nos primeiros minutos partida os dois times já mostraram que fariam um confronto equilibrado. O Avaí arriscava as jogadas de velocidade pelo meio, enquanto o Bahia insistia em cruzamentos para a grande área, principalmente pela ponta direita, com Eduardo. Com uma marcação mais forte, os baianos tomaram conta da posse de bola, mas tinham dificuldade para acertar as triangulações, o que tornou o jogo em uma disputa entre ataque e defesa.

Até que duas oportunidades claras de gol mudaram o rumo da partida. Aos 25 minutos, Júnior Dutra recebeu pela direita, cruzou para a grande área na medida para Joel, que aproveitou um escorregão do zagueiro para cabecear firme. Ela passando rente a trave de Jean. Em resposta, aos 29, Eduardo fez linda jogada pela direita, tirou a marcação e cruzou rasteiro para Allione, que tentou mandar de letra, mas viu a bola explodir na trave. E assim terminou a primeira etapa.

SEGUNDO TEMPO

No intervalo o técnico Jorginho sacou a dupla Régis e Allione, mexendo completamente no meio campo com a entrada de Vinícius e Gustavo Ferrareis. A torcida do Bahia não gostou da substituição, mas as alterações mexeram com a partida e o Avaí já não ficava mais com a bola. O time de Claudinei Oliveira passou praticamente todo o segundo tempo apenas se defendendo, com o goleiro Douglas Friedrich em mais uma atuação de gala.

Até que tudo mudou aos 29 minutos. Vinícius mandou para Renê Júnior dentro da grande área e, mesmo ‘no meio da fogueira’, o meia conseguiu tirar a marcação de cabeça e bateu por debaixo do goleiro, abrindo o placar no Pituaçu e fazendo BAHIA 1 X 0 AVAÍ.

O golaço acalmou a torcida, mas por pouco tempo. Aos 37 minutos, o Avaí cobrou um escanteio fechado, o goleiro Jean não afastou e Júnior Dutra apareceu no segundo pau para fazer BAHIA 1 X 1 AVAÍ. A bola ainda bateu em Rômulo antes de entrar e pouco depois o juiz encerrava a partida.

VÍDEO:


FOTOS:

JOGO 5028

PARTIDA NUM.: 5028
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 3 X 0 Ponte Preta (SP)
DATA: Quarta-Feira, 12 de julho de 2017
LOCAL: Campinas-SP
ESTÁDIO: Moisés Lucarelli
JUIZ: Rafael Traci (PR)
AUXILIARES: 
Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Tiago e Zé Rafael (Bah) e Fernandinho (PoP)
RENDA: R$ 82.165,00
PÚBLICO: 3.858 pagantes (4.181 no total)
GOLS: Rodrigão (2) e Renê Júnior (Bah)
BAHIA: 
Jean; Eduardo. Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Matheus Sales, Renê Júnior, Régis (Vinícius) e Zé Rafael (Juninho); Mendoza e Rodrigão (Gustavo Ferrareis).
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Kadu e Fernandinho; Fernando Bob, Wendel (Felipe Saraiva), Jadson (Xuxa) e Claudinho (Yuri); Emerson Sheik e Lucca.
TREINADOR: Gilson Kleina

OBSERVAÇÃO: Décimo terceiro jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Jogando no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, o Tricolor da Boa Terra bateu por 0 X 3 a Ponte Preta do Técnico Gilson Kleina com dois gols do atacante Rodrigão emprestado pelo Santos ao Bahia e que havia estreado no jogo anterior contra o Fluminense-RJ, e um do volante Renê Júnior, que curiosamente é um jogador também emprestado aos baianos, só que pela própria Ponte Preta.

Com este resultado nesta 13ª rodada do Brasileirão de 2017, o Bahia encerrou a sequencia de sete jogos sem vencer e empurrou o clube do interior paulista para a briga contra a zona de rebaixamento. Inclusive essa foi a primeira vitória do Bahia fora de casa em toda a competição, o que o colocou com 15 pontos, igualado com a própria Ponte Preta, mas entendo à frente pelo saldo de gols

O JOGO

Nem bem começou a partida, e o Bahia mostrou as suas garras, quando aos três minutos do primeiro tempo, numa arrancada pela direita do clube baiano, Zé Rafael foi derrubado pelo ponte pretano Fernandinho. Assim sendo, o meia Régis cobrou a falta colocando a bola na marca do pênalti para Rodrigão tocar de cabeça no contrapé do goleiro Aranha e fazer PONTE PRETA 0 X 3 BAHIA.

Em vantagem na partida o Bahia então recuou a marcação e deixou a bola com a Ponte Preta, que tinha grandes dificuldades para criar. Artilheiro do grupo, Lucca era o que mais arriscava, principalmente nas bolas paradas. A principal oportunidade para o time da casa aconteceu aos 13 minutos, quando Fernando Bob calibrou o pé e conseguiu acertar um lançamento longo para Claudinho. O jovem atacante dominou nas costas da marcação baiana, e frente a frente com Jean, conseguiu a proeza de finalizar pela linha de fundo, o que deixou a torcida campinense ainda mais enfurecida e rendeu vaias ao jogador, que mais tarde precisou ser substituído pelo técnico Gilson Kleina , deixando o gramado visivelmente irritado.

Mas as falhas do clube campinense não estavam apenas na parte ofensiva, já que antes do apito final do primeiro tempo, o atacante Rodrigão teria em dois cochilos da marcação ponte pretana pelo menos ainda duas oportunidades de ampliar a vantagem para o Tricolor da Boa Terra, demostrando assim que o atacante baiano estava numa noite inspirada.

SEGUNDO TEMPO

Já no início da segunda etapa, não demorou muito para Rodrigão comprovar a teoria de que estava realmente numa noite inspirada, pois aos oito minutos, após um chutão do zagueiro baiano Lucas Fonseca, a bola acabou nos pés do atacante, que dominou bonito, tirou Aranha pra dançar, cortou pra direita e bateu sem goleiro fazendo PONTE PRETA 0 X 2 BAHIA, e levando ao desespero a torcida campinense presente no Moisés Lucarelli. Entretanto infelizmente no lance o atacante baiano acabou pisando em falso no gramado e precisou ser substituído por Ferrareis.

Porém se o azar atingiu em cheio o atacante baiano, para a Ponte Preta as coisas continuaram ruins e tudo foi por água abaixo com este segundo gol de Rodrigão. A torcida campinense perdeu a paciência e passou a vaiar o seu time, que em campo se mostrava sem nenhuma estratégia para virar a partida. O técnico Gilson Kleina inclusive abandonou o esquema com três volantes e lançou Felipe Saraiva e Xuxa nos lugares de Wendel e Jadson, mas não tinha cartas na manga para encontrar espaço na marcação do Bahia.

Para piorar ainda mais as coisas o Bahia fechou o caixão aos 39 minutos, quando o meia Vinícius teve tranquilidade para encontrar o Renê Júnior entre os zagueiros e tocou para o volante, que recebeu, dominou e bateu forte para vencer o goleiro Aranha e fazer PONTE PRETA 0 X 3 BAHIA, dando assim números finais a partida.


VÍDEO:


FOTOS:

quinta-feira, 6 de julho de 2017

JOGO 5027

PARTIDA NUM.: 5027
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 1 Fluminense (RJ)
DATA: Domingo, 09 de julho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
AUXILIARES: 
Daniel Paulo Ziolli (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Armero, Lucas Fonseca e Matheus Sales (Bah) e Henrique Dourado (Flu)
RENDA: R$ 427.932,50
PÚBLICO: 18.267 pagantes

GOLS: João Paulo (Bah) e Wellington Silva (Flu)
BAHIA: Jean; Eduardo, Lucas Fonseca, Tiago e Armero; Renê Júnior, Matheus Sales, Zé Rafael (João Paulo), Régis e Mendoza; Vinícius (Rodrigão).
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
FLUMINENSE: Júlio César;  Lucas, Henrique, Reginaldo e Mascarenhas; Orejuela, Marlon Freitas e Gustavo Scarpa; Marquinhos Calazans (Maranhão), Wellington Silva (Marcos Júnior) e Henrique Dourado (Pedro).
TREINADOR: Abel Braga

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. O inferno astral do Bahia continuou com o resultado desta partida, afinal o time comandado pelo Técnico Jorginho criou muitos lances de perigo, mas jogando em casa na Fonte  Nova acabou empatando em 1 X 1 com o Fluminense-RJ,  e completou assim um mês sem vitória no Campeonato Brasileiro.

A última vitória do Bahia ocorreu no dia 8 do mês de junho, quando naquela oportunidade bateu o Cruzeiro-MG por 1 a 0 jogando na Fonte Nova. Porém de lá até esta partida, aconteceram três empates e quatro derrotas,  e com 11 pontos, o time só não ficou na zona de rebaixamento por ter um melhor saldo de gols (-1 contra -5) em relação ao seu grande rival, o Vitória.

O JOGO

O Bahia começou com tudo, tanto que a primeira finalização aconteceu logo aos dois minutos., quando um chute de jogador tricolor Renê Júnior saiu raspando a trave do goleiro fluminense Júlio César.

No entanto a resposta carioca foi mortal, quando aos 11 minutos, o jogador Lucas cruzou e o atacante Henrique Dourado desviou de letra, porém o zagueiro tricolor Tiago estava lá para salvar a bola em cima da linha, mas para desespero da torcida baiana a bola sobrou para Wellington Silva fazer BAHIA 0 X 1 FLUMINENSE. Na sequência, o volante baiano Renê Júnior bateu colocado e a bola passou rente ao travessão, quase empando a partida.

Atrás do placar, o Tricolor Baiano não deixava o Fluminense respirar pressionando fortemente o adversário. E assim, na melhor oportunidade de empate no primeiro tempo, o atacante Mendoza tabelou com meia Vinícius e, livre de marcação, perdeu um gol incrível cabeceando para fora com o gol totalmente aberto.

Aos 32 minutos, o lateral colombiano Armero do Bahia foi até a linha de fundo e cruzou para trás. Mendoza, novamente, cabeceou para defesa segura do goleiro fluminense Júlio César.  O goleiro do tricolor carioca ainda fez mais duas grandes intervenções em finalizações de Régis e Renê Júnior, e quando Júlio César não conseguia defender, o zagueiro Henrique ajudava - o salvando o clube carioca em bolas perigosas. E assim terminou o primeiro tempo com a reclamação dos baianos por dois pênaltis não marcados pelo juiz da partida.

SEGUNDO TEMPO

O Bahia voltou com uma mudança do intervalo com a entrada do atacante estreante Rodrigão no lugar de Vinícius, e Logo no primeiro minuto, Zé Rafael arriscou da entrada da área e bateu rente a trave do goleiro Júlio César. Na sequência, depois de um bate e rebate, a bola caiu nos pés de Régis. O meia tricolor soltou a bomba e mandou para fora.

Jogando no contra-ataque, o Fluminense assustou com Henrique Dourado, quando Wellington Silva cruzou e o atacante chutou de primeira, mas mandou a bola por cima.

A torcida do tricolor baiano presente na Arena Fonte Nova já começava a perder a paciência com o time, e de tanto insistir, os donos da casa chegaram ao empate, quando aos 38 minutos o jovem atacante João Paulo, que havia acabado de entrar no lugar de Zé Rafael, acertou um bonito chute de fora da área fazendo BAHIA 1 X 1 FLUMINENSE.

Depois do gol baiano, o Bahia prosseguiu agredindo com algumas jogadas aéreas, mas sem sucesso, enquanto o Fluminense, satisfeito com o empate, segurou o resultado até o final da partida.

VÍDEOS:




FOTOS:

quinta-feira, 29 de junho de 2017

JOGO 5026

PARTIDA NUM.: 5026
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 0 Vitória (BA)
DATA: Domingo, 02 de julho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Manoel Barradas (Barradão)
JUIZ: Raphael Claus (SP)
AUXILIARES: 
Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Zé Rafael, Tiago e Allione (Bah) e André Lima, Kanu, Geferson, Patric (Vit)
RENDA: R$ 195.833,50
PÚBLICO: 
10.741 pagantes (torcida única)

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Éder e Armero; Matheus Sales, Renê Júnior, Régis (Vinícius), Zé Rafael (Juninho) e Allione (Douglas); Mendoza.
TREINADOR: Luís Quintanilha (substituto)
VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Kanu, Ramón e Geferson; Willian Farias, Yago, Cleiton Xavier (Neílton) e Carlos Eduardo (Gabriel Xavier); Kieza (David) e André Lima.
TREINADOR: Alexandre Galo

OBSERVAÇÃO: Décimo primeiro jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. O Tricolor Baiano conseguiu um empate em 0 X 0 jogando contra o Vitória no Estádio do Barradão em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2017.

O rubro-Negro Baiano se apresentou melhor nesta partida , mas não conseguiu deixar o estádio com um triunfo no clássico Ba-Vi, onde os dois times fizeram uma partida de tempos distintos, mas não conseguiram saír do empate por 0 a 0.

Com este resultado, o Bahia conseguiu deixar a zona de rebaixando, indo para a 16ª posição, com 11 pontos, mesmo saldo de gols do São Paulo, mas com mais gols marcados que o clube paulista (13 contra dez). Já o Rubro negro seguiu na zona de degola, com nove pontos.

Como foi expulso na rodada anterior, diante do Flamengo, o treinador Jorginho não pôde comandar o Bahia e sequer ir aos vestiários no intervalo. Por isso, o time teve o comando do auxiliar técnico Luís Quintanilha na área técnica.

O JOGO

O Vitória começou a partida pressionando o Bahia, que só conseguia deixar o campo de defesa com lançamentos diretos. Desta forma, o time de Alexandre Gallo criou boas oportunidades de gol. Logo aos cinco minutos, Kieza recebeu o passe pelo alto, dominou no peito e chutou para uma defesa espetacular de Jean.

O goleiro do Bahia precisou trabalhar de novo aos 29 minutos. Geferson subiu com liberdade pela esquerda e levantou para a área. André Lima usou de sua boa impulsão para cabecear no ângulo, mas o camisa 1 conseguiu chegar e espalmar para escanteio.

SEGUNDO TEMPO

O jogo caiu de rendimento na segunda etapa. Cansado, o Vitória não conseguiu manter a pressão no campo adversário. Aos 20 minutos, David tentou a jogada individual, deixou Armero para trás e chutou cruzado, mas Jean não teve dificuldades para defender.

A melhor oportunidade foi desperdiçada por Kanu, aos 34 minutos. Depois de cobrança de falta para a área, a bola sobrou para o zagueiro, de frente para o gol. O chute saiu torto, ao lado.

VÍDEOS:



FOTOS:

JOGO 5025

PARTIDA NUM.: 5025
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 1 Flamengo (RJ)
DATA: Domingo, 25 de junho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: 
: Igor Junio Benevenuto (MG)

AUXILIARES: Marcio Eustaquio Santiago (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
EXPULSÃO: Lucas Fonseca (Bah)
C. AMARELO: Matheus Sales (Bah) e Guerrero, Rodinei e Éverton Ribeiro (Fla)
RENDA: R$ 730.534,50
PÚBLICO: 14.065 pagantes
GOL: Berrío (Fla)
BAHIA: Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Matheus Sales, Juninho, Vinícius (Rodrigo Becão) e Allione (Régis Souza); Zé Rafael e Edigar Junio (Mendoza).
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
FLAMENGO: Thiago, Rodinei, Rhodolfo, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Willian Arão (Berrío), Diego e Everton Ribeiro (Cuéllar); Matheus Sávio (Vinícius Júnior) e Guerrero.
TREINADOR: Zé Ricardo

OBSERVAÇÃO: Décimo jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Com a estreia do meia Éverton Ribeiro no Flamengo, o Tricolor Baiano jogou e perdeu por 1 X 0 na Arena Fonte Nova pela décima rodada do Brasileirão de 2017.

Com a derrota o Bahia permaneceu com dez pontos e se posicionou entre os últimos colocados do Campeonato Brasileiro, além de chegar a sua quinta partida sem vitórias.

Já o Flamengo chegou aos 17 pontos e pulou para a terceira colocação da tabela, entrando no G4 da competição.

JOGO

O jogo foi muito intenso desde o início, mas o Bahia teve mais ações ofensivas nos primeiros minutos. Aos 9, Zé Rafael se aproveitou de um vacilo de Willian Arão, roubou a bola do adversário e chutou forte, de fora da área, levando perigo para o goleiro Thiago, que viu a bola passar raspando a sua trave direita.

Aos 20 minutos, novamente Zé Rafael levou muito perigo para o gol do time rubro-negro. O atacante insistiu em uma jogada na linha de fundo e contou com a falha do zagueiro Rafael Vaz para dominar e cruzar, mas Rhodolfo foi muito bem no lance e cortou a jogada.

Aos 30 minutos, o zagueiro Lucas Fonseca, do Bahia, que já havia recebido um cartão amarelo, foi expulso de campo, após uma jogada agressiva contra o atacante Guerrero, que também foi advertido com um cartão amarelo. Aos 35, o estreante Éverton Ribeiro, que fazia uma boa partida, também foi punido com um cartão amarelo.

Aos 44 minutos, o atacante argentino Allione aproveitou um espaço no bico esquerdo da área e mandou de perna direita para o gol, mas Thiago espalmou em uma ótima defesa.

Aos 46, o Flamengo levou perigo em um cruzamento da esquerda, feito pelo lateral Trauco, para uma cabeçada perigosa de Willian Arão, mas a bola saiu pela linha de fundo.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, as equipes voltaram dispostas a abrir o marcador. Aos 11 minutos, Juninho cobrou uma falta na meia lua com muito perigo, a bola passou raspando a trave superior de Thiago.

Aos 18 minutos, Éverton Ribeiro levantou na área - em cobrança de falta pela direita do ataque - para o peruano Guerrero, que não conseguiu alcançar a bola.

Aos 24 minutos, o garoto Vinícius Junior se livrou da marcação de Eduardo com um toque por cima do lateral e cruzou na área, mas a zaga interceptou o passe.

Aos 27 minutos, o meia Éverton Ribeiro recebeu de Diego e deu um belo passe para o colombiano Orlando Berrío, que dominou e bateu cruzado para acertar o canto direito do goleiro Jean e fazer BAHIA 0 X 1 FLAMENGO.

Aos 30 minutos, o técnico Jorginho, do Bahia, reclamou da arbitragem e foi expulso pelo mineiro Igor Junio Benevenuto.

VÍDEOS:


FOTOS:

quarta-feira, 21 de junho de 2017

JOGO 5024

PARTIDA NUM.: 5024
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 3 Corinthians (SP)
DATA: Quinta-feira, 22 de junho de 2017
LOCAL: São Paulo-SP
ESTÁDIO: Arena Corinthians (Itaquerão)
JUIZ: 
Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)

AUXILIARES: Helcio Araujo Neves (PA) e Jose Ricardo Guimarães Coimbra (PA)
EXPULSÃO: Renê Júnior (Bah) e Gabriel (Cor)
C. AMARELO: Allione e Rodrigo Becão (Bah) e Balbuena e Romero (Cor)
RENDA: R$ 1.504.387,20.
PÚBLICO: 
34.250 pagantes. 
GOLS: Jô, Balbuena e Marquinhos Gabriel (Cor)
BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Rodrigo Becão e Matheus Reis; Renê Júnior, Feijão e Vinícius (Régis); Allione (Gustavo), Zé Raphael e Edigar Junio (João Paulo)
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
CORINTHIANS: Cássio;  Fagner, Pablo, Balbuena e Guilherme Arana;  Gabriel, Maycon, Jadson (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho (Camacho) e Romero; Jô (Kazim)
TREINADOR: Fábio Carille

OBSERVAÇÃO: Nono jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Em um jogo diferente do habitual o Corinthians bateu por 3 X 0 o Bahia no Itaquerão pela nona rodada do Brasileirão 2017. De rotineiro, apenas o atacante Jô que marcou mais um gol e comandou a vitória do Corinthians por 3 a 0. Porém por expulsões e pressão do rival fizeram com que o placar para os paulistas fosse construído com muito mais dificuldade. O resultado não mostrou exatamente o que foi a partida, já que este foi um dos confrontos em que o time paulista mais sofreu jogando em casa para ganhar.

O JOGO

O Corinthians entrou em campo líder do campeonato e com força máxima, jogando contra um Bahia que estava mais perto da zona de rebaixamento do que os primeiros lugares. Mas o favoritismo acabou assim que a bola começou a rolar.

O Bahia surpreendeu e, ao contrário da maioria dos outros times, foi para cima do Corinthians, mesmo jogando na arena. A postura assustou o time da casa, que contou com Cássio inspirado para não levar gol. O time baiano mostrou o motivo de ter iniciado a rodada como a equipe que mais chutava em direção ao gol, dentre os 20 clubes da Série A.

Acuado, o Corinthians jogou no contra-ataque e os 24 minutos , Jô recebeu passe de Fagner, driblou o goleiro e mandou para as redes, fazendo CORINTHIANS 1 X 0 BAHIA.

A boa organização do Bahia dificultou a vida de Fábio Carille, que do banco de reservas gritava e tentava organizar sua equipe. Os corintianos não conseguiam criar com qualidade, muito por causa da noite pouco inspirada de Jadson., e a primeira etapa terminou assim.

SEGUNDO TEMPO

Na volta para o segundo tempo, o Bahia voltou ainda mais no ataque e obrigou o Corinthians a viver a amarga e rara experiência de ser pressionado dentro de casa.

A noite ainda reservava mais um percalço. O volante Gabriel, que também não fez uma grande partida, foi expulso após cometer uma falta. Punição exagerada pelo árbitro, que talvez tenha tentado compensar pouco depois, dando o cartão vermelho para Renê Júnior. Ou seja, tentou corrigir o erro cometendo outro.

Com dez em cada lado, Jorginho e Carille demonstraram suas intenções. À frente no placar, o corintiano fechou a equipe, colocando Camacho no lugar de Rodriguinho, e o baiano mandou seu time ainda mais para cima, com a entrada de Régis, Gustavo e João Paulo.

Mas para ser líder, é preciso também um pouco de sorte. Aos 34, Balbuena aproveitando uma cobrança de escanteio fez CORINTHIANS 2 X 0 BAHIA, dando alívio aos donos da casa.

E aos 48, claramente abalados por terem lutado em vão, os baianos se atrapalharam na saída de bola, Marquinhos Gabriel recuperou a pelota e bateu por cima do goleiro fazendo CORINTHIANS 3 X 0 BAHIA e dando assim números finais a partida.

VÍDEO:



FOTOS:

sexta-feira, 16 de junho de 2017

JOGO 5023

PARTIDA NUM.: 5023
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 2 X 4 Palmeiras (SP)
DATA: Domingo, 18 de junho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: 
Rodolpho Toski Marques (PR)

AUXILIARES: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Keno, Róger Guedes, Willian e Juninho (Pal)
RENDA: R$ 1.052.472,00
PÚBLICO: 
33.166 pagantes (33.621 total)
GOLS: Vinícius e João Paulo (Bah) e Róger Guedes, Keno, Yerry Mina e Willian (Pal)
BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Rodrigo Becão e Matheus Reis (Armero); Juninho (João Paulo), Renê Júnior, Vinícius (Gustavo Ferrareis) e Zé Rafael; Mendoza e Edigar Junio.
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke (Tchê Tchê), Yerry Mina, Juninho e Egídio; Thiago Santos (Luan), Jean e Guerra; Willian, Róger Guedes e Keno (Erik).
TREINADOR: Alexi Stival (Cuca)

OBSERVAÇÃO: Oitavo jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Com gols de Róger Guedes, Keno, Mina e Willian, o atual campeão brasileiro surpreendeu  o Bahia jogando na Arena Fonte Nova e vencendo o Tricolor Baiano por 4 a 2, impondo assim ao clube baiano a sua primeira derrota dentro de casa neste Brasileirão 2017.

A vitória levou o Palmeiras aos dez pontos e distanciando-o assim da zona de rebaixamento. Já o Bahia permaneceu com o mesmo número de pontos, mas ficou logo à frente pelos números de gols marcados (13 a 11).

O JOGO

Pelo retrospecto até o início do confronto, o cenário estava desenhado para outro tropeço do Palmeiras. O time de Cuca carregava no histórico quatro derrotas em quatro jogos realizados como visitante. Pior ainda, sequer havia marcado gols. Do outro lado, o Bahia vinha de três vitórias em três jogos como mandante na Fonte Nova.

Desta vez o Palmeiras escreveu uma história bem diferente. Foi organizado taticamente e eficiente nas oportunidades que criou. O destaque do jogo foi Guerra. O venezuelano participou diretamente de dois gols (com duas assistências), foi voluntarioso na marcação e, com o time bem distribuído no gramado, participou ativamente das principais jogadas ofensivas.

No início do primeiro tempo o Palmeiras tentou surpreender o Bahia. Escalado com três atacantes (Willian, Róger Guedes e Keno), Cuca instruiu a equipe a avançar a marcação no campo de ataque e não dar espaços ao adversário na saída de bola.

Até os 10 minutos a estratégia não funcionou como o planejado e o Bahia chegou duas vezes com perigo ao gol de Fernando Prass. Com o desenrolar do jogo, a marcação encaixou, e o Palmeiras não deu espaços para o adversário criar.

Equilibrado e bem organizado em campo, o Palmeiras abriu o placar aos 17 minutos. Guerra lançou Keno, que entrou livre dentro da área e caiu quando estava sendo acossado pelo zagueiro Rodrigo Becão. O juiz da partida marcou um penalty que não existiu prejudicando o Bahia Na cobrança, Roger Guedes marcou o primeiro gol da partida, BAHIA 0 X 1 PALMEIRAS.

O Bahia não se intimidou e chegou a empatar o confronto quatro minutos depois, mas o assistente Bruno Boschilia acertou ao anotar impedimento de Tiago.

A marcação palmeirense continuou eficiente, até que uma bela jogada individual de Zé Rafael nos minutos finais do primeiro tempo desmoronou a defesa do clube paulista. O meia do Bahia recebeu na entrada da área, colocou a bola entre as pernas de Mina e chutou. Prass deu rebote e Edigar Junio cabeceou. Prass fez outra bela defesa, até que Vinícius empatou o jogo. BAHIA 1 X 1 PALMEIRAS.

SEGUNDO TEMPO

No início do segundo tempo, logo aos três minutos, o Palmeiras marcou o segundo gol com Keno, que acertou um belo chute de fora da área, BAHIA 1 X 2 PALMEIRAS.

O gol sofrido logo no início da etapa final abalou o Bahia. O time caiu de rendimento e poucas oportunidades conseguiu criar. Em vantagem no placar, o Palmeiras pouco se arriscou e o jogo, diferentemente do primeiro tempo, não teve a mesma emoção.

A emoção só voltaria nos minutos finais, quando o Palmeiras marcou o seu terceiro gol com Mina, de cabeça, logo após cobrança de falta de Jean, BAHIA 1 X 3 PALMEIRAS.

Porém nem deu tempo para os palmeirenses comemorarem pois dois minutos depois, João Paulo fazia o segundo gol do Bahia, BAHIA 2 X 3 PALMEIRAS.

E Já nos acréscimos, Willian fechou o placar com um belo chute de fora da área para sacramentar a vitória, BAHIA 2 X 4 PALMEIRAS.

VÍDEO:



FOTOS:


IMAGEM:
Frete e verso do ingresso da Partida.