Assuntos

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

JOGO 4932

PARTIDA NUM.: 4932
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Primeira Fase - Fase de Classificação)



JOGO: Bahia 2 X 0 Bahia de Feira (BA)
DATA: Domingo, 06 de março de 2016
LOCAL:  Senhor do Bonfim-BA
ESTÁDIO: Pedro Amorim Duarte
JUIZ: Emerson Ricardo de Almeida Andrade (BA)
AUXILIARES: Jucimar dos Santos Dias (BA) e Paulo de Tarso Bregalda Gussen (BA)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Luisinho, Hayner, Robson, Paulo Roberto, Zé Roberto (Bah) e Ramirez e Marconi (BaF)
RENDA: R$ 78.590,00
PÚBLICO: 4.050 pagantes
GOLS: Edigar Junio e Zé Roberto (Bah)
BAHIA: Marcelo Lomba; Hayner, Robson, Eder e Yuri; Feijão e Paulo Roberto; Juninho (Rômulo), Luisinho e Edigar Junio (Zé Roberto); Hernane (Jacó). 
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
BAHIA DE FEIRA: Rudi; Jarbas, Menezes, Lucas Cardoso e Júnior (Peterson); Ramirez (Guegué), Marconi, Paulo Miranda (Guilherme Gofinha) e Bruninho; Léo MIneiro e Marclei. 
TREINADOR: Quintino Barbosa (Barbosinha)

OBSERVAÇÃO: Quarto jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2016. O Bahia seguiu com este resultado com um início de temporada arrasador fazendo mais uma vítima. Desta vez o Tricolor baiano foi até a cidade de Senhor do Bonfim do ídolo Bobô e derrotou o xará Bahia de Feira por 2 a 0, isto pela 5ª rodada do Baianão 2016 (o Bahia tem um jogo a menos).

O atacante Edigar Junio e o atacante Zé Roberto marcaram os gols do triunfo tricolor. Com esta vitória, o Esquadrão foi aos 12 pontos ganhos, manteve os 100% de aproveitamento e se isolou na liderança geral do campeonato estadual. Além disso o time do Fazendão ainda garantiu sua vaga antecipada nas quartas de final da competição.

O Jogo

O Bahia e o Bahia de Feira fizeram um primeiro tempo disputado, porém com poucas oportunidades reais de gols criadas pelas duas equipes. No Tricolor, as melhores chances aconteceram aos 20 e 34 minutos.

Na primeira oportunidade Luisinho chutou de fora da área, a bola desviou em Menezes e encobriu o goleiro. Mas, a redonda caiu na rede, por cima do gol.

Em seguida, foi à vez de Hernane assustar. Após cruzamento da esquerda, o Brocador cabeceou da área e exigiu boa defesa do goleiro do time feirense.

Por sua vez, o Tremendão teve sua melhor chance no último lance da primeira etapa, aos 46, quando Bruninho fez boa jogada pela direita, tocou de letra para Marconi, que cruzou rasteira, mas bem colocado, o goleiro Marcelo Lomba saiu do gol para fazer a defesa antes que a bola chegasse aos atacantes do tricolor feirense.

Segundo Tempo

O partida continuou disputada entre as duas equipes desde o inicio da segunda etapa, mas, aos 18 minutos, o Esquadrão tirou o zero do placar. Edigar Junio fez bela jogada individual, driblou o marcador e, de fora da área, chutou forte no canto para colocar o Bahia na frente. BAHIA 1 X 0.

Um minuto depois, o Tricolor da capital quase aumentou. Luisinho fez lançamento para Rômulo, que havia entrado na vaga de Juninho. O meia do Bahia chutou forte da área, mas o goleiro Rudi desviou e a bola que acabou batendo no travessão. Na sequência da jogada, Hernane dividiu com o zagueiro e infelizmente levou a pior. O artilheiro acabou lesionando o joelho e deixou o campo com muitas dores para a entrada de Jacó.

Já aos 35, o tricolor da capital chegou com perigo mais uma vez. Jacó lançou Rômulo que, ajeitou e chutou forte na área, mas o goleiro Rudi fez bela defesa evitando o segundo gol do Bahia.

Três minutos depois, o goleiro do Bahia de Feira brilhou novamente. Rômulo lançou a bola na área, o atacante Zé Roberto que havia entrado no lugar de Edigar Junio desviou de cabeça na pequena área, e novamente Rudi salvou à queima roupa. Porém, nos minutos finais, o arqueiro não conseguiu evitar o segundo gol. Zé Roberto avançou do meio campo com a bola, carregou até a entrada da área e chutou no canto direito de Rudi para fazer Bahia 2 X 0.

VÍDEO:


FOTOS:

JOGO 4931

PARTIDA NUM.: 4931
COMPETIÇÃO: Copa do Nordeste (Primeira Fase - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 3 X 0 Confiança (SE)
DATA: Quarta-feira, 02 de março de 2016
LOCAL:  Aracaju-SE
ESTÁDIO: Lourival Baptista (Batistão)
JUIZ: Caio Max Augusto Vieira (RN-CBF1)
AUXILIARES: Luis Carlos de França Costa (RN-CBF2) e Francisco Jailson F. da Silva - RN (RN-CBF2).
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Flávio e Wallace Pernambucano (Conf)
RENDA: R$ 70.638,00.
PÚBLICO: 4.190 pagantes.
GOLS: Hernane (2) e Edigar Junio (Bah)
BAHIA: Marcelo Lomba, Tinga (Yuri), Gustavo, Éder e João Paulo (Hayner); Feijão; Danilo Pires (Paulo Roberto), Juninho, Luisinho e Edigar Junio; Hernane.
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
CONFIANÇA: Rafael Sandes, Nei Maruim, Valdo, Lucas Rocha e Pedrinho (Izaldo); Flávio, Elielton (João Guilherme), Hamilton, Wallace Pernambucano e Danilo Bala; Leandro Kível (Warley).
TREINADOR: Betinho

OBSERVAÇÃO: Esta foi a quarto partida do Bahia na Copa do Nordeste de 2016. A goleada sofrida no amistoso internacional contra o Orlando City aparentemente não deixou os atletas do Bahia traumatizados. Pois que na noite de quarta-feira (02/03), o Esquadrão manteve os 100% de aproveitamento em jogos oficiais ao bater o Confiança por 3 a 0, pela quarta rodada da Copa do Nordeste, no estádio Lourival Baptista, em Aracaju, com gols de Hernane (marcando duas vezes) e Edigar Junio.  Com este resultado, o Bahia alcançou 12 pontos e seguiu na liderança no grupo C da Copa do Nordeste de 2016.

O Jogo

As duas equipes entraram no em campo com objetivos diferentes. Enquanto o Confiança buscava a sobrevivência, o Bahia tinha o objetivo de manter o bom aproveitamento dentro da competição regional.

Mesmo jogando fora de casa, o Bahia começou tentando surpreender a equipe comandada pelo técnico Betinho, e logo no segundo minuto, Hernane de muito longe chutou sem direção.

Já o Confiança deu as suas cartas no terceiro minuto. Após uma cobrança longa de lateral feita por Nei Maruim, a defesa tricolor vacilou e Leandro Kivel cabeceou muito perto do gol, e aos oito minutos, Danilo Bala recebeu longo passe e ficou de cara com o goleiro Marcelo Lomba, mas não conseguiu passar pelo arqueiro tricolor.

Apesar do Confiança ter assustado, quem balançou a rede foi o Bahia, quando aos 15 minutos, Hayner, que havia entrado no lugar do lesionado João Paulo, avançou pela direita e fez bom cruzamento para Hernane, e este cabeceou com firmeza para o gol. BAHIA 1 X 0. Este foi o sétimo gol do camisa 9 do Bahia em seis jogos oficiais com a camisa tricolor.

O torcedor do Bahia que foi até o Batistão não demorou muito para soltar outro grito de gol, já que aos 21 minutos, Juninho cobrou um escanteio, a bola desviou e sobrou com Hernane. O atacante, com faro de gol, não perdoou tocando com o pé esquerdo e balançsndo as redes do Confiança, BAHIA 2 X 0.

Aos 24 minutos, o Confiança mostrou que estava vivo, quando o atacante Kivel recebeu a bola em profundidade e, de frente para Lomba, concluiu em cima do arqueiro tricolor. No lance seguinte, Danilo Bala recebeu pelo largo esquerdo e chutou para outra defesa do goleiro tricolor.

Três minutos depois, a chance foi de Flávio. Fora da área, o meio-campista chutou rasteiro e a bola passou muito perto do gol defendido por Lomba.

Já aos 35, a bola aérea voltou a assustar a defesa do Bahia. Wallace Pernambucano cobrou escanteio e Valdo cabeceou e a bola desviou na defesa. Na sequência, nova cobrança e a defesa tricolor afastou definitivamente a bola.

No final da primeira etapa, aos 45, foi o Bahia deu o troco com o jogador Luisinho que, recebendo a bola pelo lado direito, finalizou com perigo para boa defesa do goleiro Rafael Sandes.

Segundo Tempo

O início da segunda etapa ficou marcado por tentativas de ataque do Confiança. Aos seis minutos, Danilo Bala recebeu cruzamento vindo da direita e cabeceou para fora. O lance, entretanto, já havia sido parado pela arbitragem em virtude da posição irregular.

Enquanto o Confiança corria atrás para melhorar a sua situação, o Bahia ficava atrás e tentava manter a posse de bola. Somente aos 13 minutos o Bahia subiu ao ataque. Hayner cobrou lateral longo para Luisinho, que cruzou para a área, mas nenhum tricolor chegou para concluir.

Aos 19 minutos, mais uma tentativa do tricolor no ataque, e mais uma vez pela direita, quando Luisinho efetuou um lançamento e o jogador Edigar Junio cabeceou por cima da meta defendida por Rafael Sandes.

O time comandado pelo Técnico Doriva continuou jogando atrás, aguardando por um erro do time sergipano e a oportunidade veio aos 30 minutos, quando após receber a bola na área, o atacante Hernane furou a finalização. Na sequência, Ney Maruim errou e a bola sobrou para o atacante Edigar Junio, que, de fora da área, finalizou com o pé direito para o gol, BAHIA 3 X 0.

Logo na sequência, o Confiança assustou. Após uma cobrança de falta rebatida pelo goleiro Marcelo Lomba, Ney Maruim, com o gol aberto, cabeceou por cima da meta, e aos 38, depois de um escanteio, o mesmo Ney Maruim cabeceou para defesa do arqueiro tricolor.

Dono do resultado, o Bahia tocou a bola e ouviu gritos de "olé" por parte da torcida do Confiança, que já aceitava a eliminação na competição regional. No final, deu Bahia.

VÍDEO:

FOTOS:

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

JOGO 4930

PARTIDA NUM.: 4930
COMPETIÇÃO: Amistoso Internacional



JOGO: Bahia 1 X 6 Orlando City (EUA)
DATA: Sábado, 27 de fevereiro de 2016
LOCAL: Orlando-FL (EUA)
ESTÁDIO: Citrus Bowl
JUIZ: Ted Unkel (EUA)
AUXILIARES: Kevin Klinger (EUA) e Matthew Miscannon (EUA)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Dedé e Rômulo (Bah) e Rafael Ramos (Orl)
RENDA: 
PÚBLICO: 
GOLS: Zé Roberto (Bah) e Seb Hines (4), e Pedro Ribeiro e Darwin Cerén (Orl)
BAHIA: Marcelo Lomba (Jean), Hayner, Gustavo (Robson), Dedé e Moisés (João Paulo e depois Tinga); Yuri (Danilo Pires), Paulo Roberto (Juninho) e Rômulo; Luisinho, Hernane (Cristiano) e Zé Roberto.
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
ORLANDO CITY: Bendik; Shea, Mateos, Seb Hines e Rafael Ramos; Carrasco, Darwin Cerén, Molino (Winter) e Pedro Ribeiro; Kaká e Larin.
TREINADOR: Adrian Heath

OBSERVAÇÃO: Jogo amistoso realizado em comemoração pelos 85 anos de fundação do Tricolor Baiano, e também como preparação do clube americano para a temporada da Major Soccer League (MSJ). Esta foi a primeira partida da história entre esses dois clubes. 

Este jogo marcou o retorno do Tricolor Baiano aos EUA após 52 anos, já que em 1964 o Bahia havia disputado ao lado de clubes alemães, escoceses, ingleses e italianos do "Torneio Internacional de Nova York", torneio este promovido pela "International Soccer League (ISL) I e II" entre os anos de 1960 e 1965, e que tinha o seu formato semelhante ao atual Mundial de Clubes da Fifa.


Com esta partida o Bahia tornou-se o quinto clube brasileiro a enfrentar o Orlando City (o primeiro do Norte-Nordeste), depois do Fluminense-RJ, São Paulo-SP e a Ponte Preta-SP, que jogaram em Orlando e o Flamengo-RJ que jogou no Estádio do Maracanã, na capital carioca.

Vale dizer que esta partida que se esperava fosse uma grande oportunidade de vender a marca "BAHIA" internacionalmente, acabou se transformando num dos maiores desastres da história do clube, graças a infantilidade e inexperiência da jovem diretoria tricolor que, sob a direção do presidente do Marcelo Sant'Ana, infelizmente cometeu o erro de acertar este evento com o Orlando City sem antes consultar a instituição máxima do futebol brasileiro. 

Não obstante a falta de bom senso da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que não aceitou a solicitação da diretoria do Tricolor de mudar a data do jogo contra o Confiança-SE pela Copa do Nordeste, para que assim o Bahia pudesse participar do evento com tranquilidade, vale lembrar que a CBF não tinha nenhuma obrigação de atender a solicitação do Bahia e cabia sim a diretoria do clube consultar a entidade sobre esta mudança antes de acertar qualquer evento, seja ele nacional ou internacional.


Diante disto a atitude de seu presidente e de sua diretoria pós-jogo de culpar a CBF por seus próprios erros, demonstrou a covardia e a falta de humildade dessa gente em assumir os seus erros, transferindo-os para quem não tem culpa e perdendo a oportunidade de aprender com a situação criada por eles mesmos.

O Jogo

Nem bem o confronto se iniciou, o Tricolor de Aço parecia que daria trabalho ao clube local. No primeiro ataque da equipe, Zé Roberto recebeu a bola sem marcação e tocou entre as pernas de Bendik para ver a bola morrer no fundo do gol.

Buscando a resposta rapidamente, o Orlando subiu a sua marcação e teve o primeiro lance de perigo a seu favor aos 6 minutos, com Dedé derrubando Larin na entrada da pequena área. Entretanto, a cobrança de Kaká acaba interceptada pela defesa tricolor.

Com jogo aberto no meio-campo, as duas equipes flertavam com as defesas adversárias e criavam um confronto movimentado no Citrus Bowl. Dessa maneira, não demorou para os donos da casa chegarem ao empate. Em escanteio cobrado por Kaká, a bola passa por cima de toda a defesa baiana e sobra para Hines completar de cabeça e deixar tudo igual.

Aos 18 minutos, a partida diminuiu o seu ritmo com as duas equipes passando a tocar mais a bola e o Bahia tentando preservar os seus atletas em meio as jogadas mais duras do time norte-americano, que passou a dominar os lances ofensivos do amistoso.

Entre muitos passes errados, os Lions tiveram a chance de virar o confronto aos 26, quando Larin recebeu passe de Shea e ficou frente a frente com Lomba, mas acabou colocando a bola por cima da meta brasileira. Aos 27 foi a vez de Kaká, que driblou a defesa adversária e chutou para defesa segura do arqueiro.

Com os atacantes bem anulados, o Esquadrão de Aço não conseguia esboçar lances de perigo e assistia o Orlando City chegar mais vezes a meta tricolor. Aos 29, Pedro Ribeiro tocou para Larin, que chutou de primeira e pegou mal na bola.

Utilizando dos contra-ataques para surpreender o adversário, os anfitriões conseguiam criar lances mais efetivos na partida. Aos 34, Kaká cobrou mais um escanteio e viu a bola ser retirada por Lomba em uma confusão na defesa soteropolitana. Um minuto depois, o jogador brasileiro mais uma vez se destacou ao receber a bola de Molino e parar em bela defesa do goleiro tricolor.

Aos 38, uma trapalhada dos estadunidenses quase terminou em tragédia para a torcida local. Bendik saiu errado e acertou Hernane, fazendo a bola voltar para a pequena área e passar perto da meta da equipe roxa.

Segundo Tempo

Na segunda etapa, o Bahia voltou a ser rápido nos lances de ataque, mas dessa vez ficou devendo o gol. Com um minuto, Cristiano partiu entre os marcadores e bateu forte a esquerda do gol de Bendik.

Com melhor postura que na primeira etapa, o Tricolor pressionava os anfitriões dentro de sua própria defesa e não deixavam os comandados de Adrian Heath construir jogadas no tempo complementar.

Entretanto, aos poucos os Lions voltaram a igualar o controle de bola, levando uma leve superioridade em lances construídos pelo meia-atacante Kaká. E em um deles, veio a virada dos norte-americanos. Aos 13, novo escanteio do brasileiro terminou mais uma vez em cabeçada de Hines, que não teve dificuldades de superar Jean no lance e fazer a alegria dos torcedores locais.

O gol do time da Flórida parecia não ter afetado o Bahia, que seguia na busca por mais um gol na partida amigável. Mas sem conseguir superar a defesa do Orlando, os comandados de Doriva apenas esboçavam chutes de fora da área que não levavam perigo aos norte-americanos. E com vários erros na zaga baiana, não demorou para os anfitriões chegassem ao terceiro gol. Aos 26, Kaká repetiu a sua jogada habitual no confronto e encontrou Hines mais uma vez para se consagrar na partida.

A vantagem construída fez os Lions diminuirem os seu ritmo, mas não reduziram a sede de gols. Aos 34, Pedro Ribeiro se aproveitou de bola mal afastada por Tinga e chutou de primeira em Jean, que não conseguiu defender e viu a bola entrar em sua própria meta.  Logo depois, aos 41, Hines e Kaká repetem a fórmula de sucesso na cobrança de falta e levam requintes de crueldade para a partida amigável entre as duas equipes.

O que já era ruim ficou pior aos 42. Tentando deixar o seu, Kaká acabou anulado por Jean, que saiu errado no lance e viu Cerén tocar de cobertura para fechar o caixão no Citrus Bowl. Juninho tentou diminuir para os brasileiros, mas acabou em bela defesa de Bendik.

VÍDEOS:

Vídeo promocional da partida (legendado em Inglês)

O Jogador brasileiro Kaká do Orlado City 
falando antes da partida contra o Bahia

Embarque da Delegação em 25/02/2016


Torcedor e sócio do Bahia revoltado interpela o
Presidente do Clube no saguão do Aeroporto de
Miami no retorno da Delegação ao Brasil.

FOTOS E IMAGENS:

Primeira parte da Delegação do Bahia que seguiu para os EUA em 25/02/2016
Segunda parte da Delegação do Bahia que seguiu para os EUA em 26/02/2016
O Presidente Marcelo Sant'Ana e parte da Delegação do Bahia em visita
à sede do Orlando City - 26/02/2016
Comissão técnica e diretória no gramado do Estádio
Citrus Bowl antes do início da partida.
O presidente Marcelo Sant'Ana confraternizando com torcedores tricolores.
A bela cantora Cláudia Leite torcedora do Bahia compareceu a partida.