Assuntos

domingo, 1 de maio de 2016

JOGO 4948

PARTIDA NUM.: 4948
COMPETIÇÃO: Copa do Brasil (Segunda Fase - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 0 X 1 América (MG)
DATA: Quarta-feira, 18 de maio de 2016
LOCAL:  Salvador
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
AUXILIARES: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
EXPULSÃO: Artur (Amé)
C. AMARELO: Marcelo Lomba (Bah) e Alison (Amé)
RENDA: R$ 68.568,00
PÚBLICO: 5.836 pagantes
GOL: Sueliton (Amé)
BAHIA: Marcelo Lomba; Tinga, Lucas Fonseca, Éder e João Paulo Gomes;  Juninho, Feijão, João Paulo (João Paulo Gomes) e Danilo Pires (Luisinho); Thiago Ribeiro e Zé Roberto.
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
AMÉRICA: João Ricardo; Danilo, Alison, Sueliton e Artur (Danylinho); Leandro Guerreiro, Claudinei, Osman e Rafael Bastos; Sávio e William Barbio.
TREINADOR: Givanildo Oliveira

OBSERVAÇÃO: Quarto jogo do Bahia na Copa do Brasil de 2016. Com esse resultado surpreendente o Bahia foi eliminado da Copa do Brasil.

O Bahia foi superior desde o primeiro tempo e criou inúmeras chances de gol, mas abusou no desperdício e parou todas as vezes em João Ricardo ou mandou para fora. Na segunda etapa o América se deu bem em bate-rebate e fez o único gol da partida. Mas logo depois o clube mineiro ficou com um jogador a menos e teve que aguentar a pressão do Tricolor até o fim da partida.

O JOGO

A primeira bola de grande perigo do Bahia. Thiago Ribeiro recebeu na grande área aos 10 minutos, fez ótimo corte na marcação, mas bateu ao lado da rede. Enquanto o Bahia ia para cima, o América se fechava na defesa. Aos 14, novo perigo do Tricolor. Luisinho fez tudo certo, driblou todo mundo passando a bola de um pé para o outro, mas bateu por cima do gol.

O América conseguiu reagir aos 24 minutos. Artur recebeu boa bola enfiada de Leandro Guerreiro e bateu para defesa de Marcelo Lomba. Na sequência, aos 25, Rafael Bastos bateu de longa distância e a bola passou com muito perigo por cima do gol de Marcelo Lomba

Aos 28, Thiago Ribeiro foi lançado em contra-ataque, saiu na cara do goleiro, mas bateu para fora, perdendo grande chance. O Bahia seguiu chegando com Thiago. Aos 31, o atacante recebeu novo lançamento nas costas da zaga, fez bom domínio, mas bateu para fora em um chute difícil.Luisinho tabelou muito bem com Zé Roberto, que devolveu de letra, mas João Ricardo fez grande defesa.

O último grande lance do primeiro tempo também foi do Bahia, aos 45. Moisés escapou na cara do goleiro João Ricardo, mas foi fominha e não passou para Luisinho. Moisés resolveu finalizar e bateu para fora.

SEGUNDO TEMPO

Na segunda etapa, o América não perdeu tempo e tirou o zero do placar logo aos 6 minutos. O clube mineiro levantou a bola na área, a bola sobrou para o zagueiro Sueliton, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. O zagueiro estava em posição irregular. A bobeira do América veio logo na sequência. Zé Roberto fez falta em Zé Roberto e recebeu cartão vermelho.

Aos 12, após cobrança de falta de Juninho na trave, Thiago Ribeiro tentou cabeceio e João Ricardo fez uma grande defesa. Aos 19, Moisés recebeu lançamento e bateu de primeira para boa defesa de João Ricardo, no rebote, Moisés bateu travado e o goleirão ficou com ela. A pressão era toda do Bahia.

Aos 26, Jackson bateu forte de muito longe e João Ricardo mergulhou para fazer grande defesa. Aos 29, de novo Bahia de longe, com Tinga, mas a bola foi para fora. João Ricardo seguiu segurando a onda. Aos 37, Luisinho desviou cobrança de falta de cabeça e a bola ia entrando, mas o goleiro do América conseguiu desviar.

VÍDEO:

FOTOS:

JOGO 4947

PARTIDA NUM.: 4947
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Primeira Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 2 X 1 Avaí (SC)
DATA: Sábado, 14 de maio de 2016
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
AUXILIARES: Vinícius Melo de Lima e Jean Márcio dos Santos (RN)
EXPULSÃO: Alemão (Ava)
C. AMARELO: Feijão, Juninho e Zé Roberto (Bah)
RENDA: R$ 106.705,00
PÚBLICO: 10.070 pagantes
GOLS: Zé Roberto (2) (Bah) e Vinícius Pacheco (Ava)
BAHIA: 
Marcelo Lomba;  Tinga, Lucas Fonseca, Jackson e Moisés;  Feijão (Luisinho), Paulo Roberto (Juninho), Danilo Pires e João Paulo Gomes (Gustavo Blanco);  Thiago Ribeiro e Zé Roberto.

TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
AVAÍ: Renan;  Alemão, André Santos, Gabriel e Vitor Costa (Tatá);  Lucas de Sá (Lucas Fernandes), Jajá e Vinícius Pacheco; Tauã, William (Fábio Sanches) e Romarinho.
TREINADOR: Silas

OBSERVAÇÃO: Primeiro jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro da Série-B de 2016.

Jogando mais uma vez diante da sua torcida, o Bahia aproveitou a vantagem numérica para vencer o Avaí por 2 a 1 na estreia da Série B do Campeonato Brasileiro. Jogando na Arena Fonte Nova, em Salvador, o time catarinense perdeu o lateral Alemão, após uma entrada temerária no volante Paulo Roberto, e passou praticamente todo o confronto com um a menos.

Numa bola dividida, o jogador do Avaí acertou um chute na cabeça do adversário ainda pelo alto. O volante precisou ser atendido pela ambulância, onde se confirmou um corte profundo na parte de trás da cabeça. Além disso, ele teve um ferimento na orelha e terá que passar por exames para saber a gravidade de concussão.

O JOGO

Em campo, o técnico Doriva subiu a marcação do Bahia para o campo ofensivo e tentou pressionar o adversário desde o minuto inicial. Ainda assim o panorama mudou aos 18 minutos, quando Alemão e Paulo Roberto dividiram uma bola pelo alto no meio campo. O lateral do Avaí entrou com o pé muito alto no lance e acertou a cabeça do volante, que ficou desacordado no gramado.

Uma pequena confusão se instalou no gramado, mas o árbitro Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro expulsou Alemão e pediu atendimento médico para Paulo Roberto. O jogo ficou parado por sete minutos e o jogador precisou ser atendido pela ambulância que estava no estádio. Ele chegou a ser encaminhado para o hospital.

Quando a bola voltou a rolar os dois times ficaram apenas se estudando no meio campo. O técnico Doriva tentou mandar o Bahia para o ataque, mas o jogo já voltou a esquentar no finalzinho. Aos 46, Moisés levantou na grande área e o atacante Zé Roberto apareceu livre para testar no canto direito de Renan.

SEGUNDO TEMPO

Mesmo com um a mais em campo, o time da casa tinha um futebol apático e sem grandes investidas. Na volta para o segundo tempo, o Avaí até assustou, mas o atacante Zé Roberto mais uma vez colocou o seu nome na história do confronto. Aos 22 minutos ele recebeu um cruzamento rasteiro de Tinga e tocou com categoria, de letra, para o fundo das redes.

No lance seguinte, aos 24, o camisa nove ainda tentou uma bicicleta dentro da grande área. Na sobra de uma cobrança de escanteio, ele ajeitou o corpo e pegou firme na bola, mas o goleiro Renan espalmou. Antes do apito final, aos 45, o Avaí acertou o contra-ataque e balançou a rede com Vinícius Pacheco, após um lance de velocidade de Tauã.

VÍDEOS:


FOTOS:

JOGO 4946

PARTIDA NUM.: 4946
COMPETIÇÃO: Copa do Brasil (Segunda Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 0 América (MG)
DATA: Quarta-feira, 11 de maio de 2016
LOCAL:  Belo Horizonte-MG
ESTÁDIO: Arena Independência
JUIZ: Bruno Arleu de Araujo (CBF-RJ)
AUXILIARES: Luiz Claudio Regazone (Asp-FIFA-RJ) e Diogo Carvalho Silva (CBF-RJ)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Osman (Amé)
RENDA: Não divulgada
PÚBLICO: Não divulgado
BAHIA: Marcelo Lomba;  Tinga, Lucas Fonseca (Robson), Éder e João Paulo Gomes;  Feijão, Paulo Roberto, Danilo Pires e Luisinho (Henrique);  Thiago Ribeiro e Zé Roberto (Gustavo Blanco).
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
AMÉRICA: Fernando Leal;  Artur, Alison, Sueliton e Jonas (Tiago Luis);  Leandro Guerreiro, Claudinei e Danilo Barcelos;  Osman, Rafael Bastos (Sávio) e Victor Rangel (Borges).
TREINADOR: Givanildo Oliveira

OBSERVAÇÃO: Terceiro jogo do Bahia na Copa do Brasil de 2016. Desfalcado, o Bahia foi até Belo Horizonte-MG para enfrentar o América (MG) na Arena Independência pela segunda fase da Copa do Brasil, e apesar do time está modificado, o Tricolor teve chances de sair com o triunfo, mas desperdiçou oportunidades e ficou no empate sem gols com o Coelho mineiro, e assim com este resultado ao time baiano só interessa para partida de volta um triunfo, já que qualquer empate com gols daria a vaga ao América e um novo empate sem gols levaria a decisão para os pênaltis.

O JOGO

O duelo começou morno e o primeiro chute a gol só foi dado aos 15 minutos pelo zagueiro tricolor Éder. Porem a primeira boa chance foi dos donos da casa, quando aos 25 minutos, Osman arriscou da entrada da área, mas o goleiro Marcelo Lomba do Bahia fez a defesa.

Dez minutos depois, o Coelho mineiro sofreu a primeira baixa, pois Jonas se machucou sozinho e deu lugar a Tiago Luis.

Daí até o fim do primeiro tempo, só deu Bahia. Aos 41, Danilo Pires fez fila e rolou para Zé Roberto na área. O atacante chutou forte e acertou o travessão.

Já aos 45, o atacante perdeu sozinho. Zé Roberto recebeu cruzamento debaixo da trave, mas se atrapalhou todo e desperdiçou uma chance clara de abrir o placar.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, o Bahia teve uma boa chance logo aos 13 minutos. Luisinho recebeu na área, chutou no gol, mas a bola desviou na zaga.

Aos 28, o Tricolor teve a melhor chance da partida. Danilo Pires deixou Gustavo Blanco livre, o volante entrou na área só, tentou colocar e chutou pela rede do lado de fora.

A resposta do Coelho veio aos 38, Danilo cobrou falta mas acertou o travessão do gol tricolor, e assim terminou, AMÉRICA 0 X 0 BAHIA.

VÍDEOS:

FOTOS:

JOGO 4945

PARTIDA NUM.: 4945
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Finais - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 1 X 0 Vitória (BA)
DATA: Domingo, 08 de maio de 2016
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Leandro Pedro Vuaden (RS)
AUXILIARES: Bruno Raphael Pires (GO) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
EXPULSÃO: Lucas Fonseca (Bah) e Diego Renan (Vit)
C. AMARELO: Hernane, Thiago Ribeiro, Éder, Tinga (Bah) e Amaral, Marinho, Vander (Vit)
RENDA: R$ 715.007,15
PÚBLICO: 20.804 pagantes
GOL: Feijão (Bah)
BAHIA: 
Marcelo Lomba; Tinga, Lucas Fonseca, Éder e Moisés;  Feijão, Danilo Pires (Henrique), Paulo Roberto (Juninho) e João Paulo Gomes (Luisinho);  Hernane e Thiago Ribeiro.

TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
VITÓRIA: Caíque; Zé Welison, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan;  Willian Farias, Amaral e Leandro Domingues (Tiago Real); Marinho (Vinícius), Kieza e Vander (Alípio).
TREINADOR: Vagner Mancini

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo e último jogo do Bahia no Campeonato Baiano e com esse resultado o Vitória sagrou-se Campeão Baiano de 2016.

Nesta partida na Arena Fonte Nova o tricolor baiano buscava após 28 anos (desde 1988 quando foi campeão brasileiro) o seu tricampeonato, mas infelizmente não conseguiu graças a um erro grotesco de arbitragem que tirou do Bahia o título e deu ao Leãozinho da Barra.

O Jogo

Como era de se esperar, a partida começou muito nervosa e truncada. Em três minutos, o árbitro Leandro Vuaden já tinha mostrado dois cartões amarelos, um para o rubro-negro Amaral, outro para o tricolor Hernane.

Com a bola rolando, o Bahia começou superior e conseguiu balançar as redes aos 20 minutos de jogo quando  Thiago Ribeiro cruzou na área, a bola desviou na defesa rubro-negra e bateu na coxa do volante Feijão antes de morrer no fundo da redes de Caiaque, BAHIA 1 X 0

Na comemoração, os membros do banco de reservas do Bahia teriam provocado os reservas do Vitória, o que criou uma confusão que terminou com a expulsão do goleiro tricolor Jean.
Empurrado pela torcida, o Bahia marcava a saída de bola, sufocava os rivais no campo de ataque e criava as melhores chances. Aos 29 minutos, João Paulo Gomes chutou da entrada da área e obrigou o goleiro Caíque a se esticar todo para defender.

Do outro lado, o Vitória não conseguia criar nenhuma jogada ofensiva e assistia ao jogo do tricolor. O clima dentro de campo continuava tenso, e uma nova briga aconteceu aos 34 minutos, depois de Vander se envolver em uma dividida com Marcelo Lomba. Ao final do primeiro tempo, o saldo foi de oito cartões amarelos distribuídos, quatro para cada lado.

Segundo Tempo

Logo no início da segunda etapa, o Vitória teve a chance de ouro para igualar o marcador e complicar ainda mais a vida do Bahia. No entanto, Kieza, após receber belo cruzamento da direita e totalmente livre de marcação, dominou e bateu em cima do goleiro Marcelo Lomba, desperdiçando a oportunidade.

O ritmo da partida era mais lento, mas o Bahia ainda precisava de um gol para levar a decisão para os pênaltis. Por isso, foi para cima e fez o goleiro Caíque trabalhar. Primeiro, o camisa 1 rubro-negro salvou um chute de fora da área de Danilo Pires, aos 13 minutos. No lance seguinte, defendeu cabeçada de João Paulo Gomes.

O tempo passava, e o Bahia não conseguia manter o mesmo ritmo da primeira etapa. O técnico Doriva promoveu mudanças, lançando a equipe ao ataque com a entrada do atacante Henrique no lugar do meia Danilo Pires. No entanto, a solidez da defesa do Vitória estragava os planos tricolores.

Aos 32 minutos, o Bahia chegou com Moisés, que aproveitou sobra de cobrança de lateral na área e bateu para fora.

Já aos 33 minutos aconteceu o segundo lance crucial desses dois  jogos finais do campeonato quando o jovem atacante tricolor Henrique foi atropelado na área por um defensor rubro-negro, e não teve a penalidade assinalada pelo juiz da partida, tirando assim do Bahia mais uma vez a chance de conquista o título.

A resposta do Vitória veio logo em seguida, com Marinho, que tentou bater dentro da área e foi travado pela defesa tricolor.

Aos 37 minutos, Moisés salvou o Bahia ao impedir, mais uma vez, uma tentativa de Marinho.

O clima, que era quente, fechou de vez a três minutos do fim do tempo regulamentar, quando Diego Renan e Lucas Fonseca se estranharam. O resultado da confusão generalizada foi duas expulsões para cada lado: além de Diego, o Vitória perdeu o reserva Norberto; já o Bahia, além de Lucas, teve o reserva Dedé expulso.

Depois da longa paralisação, a arbitragem deu seis minutos de acréscimo. O Bahia ainda teve a última chance de levar a decisão para os pênaltis, aos 48 minutos, mas Tinga não aproveitou cruzamento de Juninho e cabeceou fraco nas mãos de Cacique.

Após o apito final, os jogadores das duas equipes voltaram a brigar dentro de campo, mas o título ficou injustamente nas mãos do Vitória.

VÍDEOS:

FOTOS:

JOGO 4944

PARTIDA NUM.: 4944
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Finais - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 2 Vitória (BA)
DATA: Domingo, 01 de maio de 2016
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Manoel Barradas (Barradão)
JUIZ: Anderson Daronco (Fifa/RS)
AUXILIARES: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Guilherme Dias Camilo (Fifa/MG)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Feijão, Luisinho, Juninho, Lucas Fonseca (Bah) e Amaral, Victor Ramos, Marinho, Leandro Domingues (Vit)
RENDA: R$ 596.163,00
PÚBLICO: 20.174 pagantes
GOLS: Diego Renan e Amaral (Vit)
BAHIA: Marcelo Lomba; Tinga, Lucas Fonseca, Eder e Moisés; Feijão, Danilo Pires e Juninho (Gustavo Blanco);  Thiago Ribeiro (Henrique), Hernane e Edigar Junio (Luisinho).
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
VITÓRIA: Caíque; Welison, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral (Marcelo), Willian Farias e Leandro Rodrigues (Flávio); Vander (Alípio), Marinho e Kieza.
TREINADOR: Vagner Mancini

OBSERVAÇÃO: Décimo primeiro jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2016.

O Leãozinho da Barra aproveitou bem este triunfo ao atuar dentro do estádio Manoel Barradas, o Barradão (vulgo Barra-Lixo), por 2 a 0, revertendo assim à vantagem do tricolor, já que por ter uma melhor campanha o Bahia havia entrado nas finais do campeonato com a vantagem de jogar por dois resultados iguais.

Entretanto a partida foi marcada por um crucial erro do juiz gaúcho Anderson Daronco que marcou um pênalti inexistente do lateral "Tinga" no atacante rubro-negro Vander, pênalti este que acabaria resultando no gol do Diego Renan e posteriormente na perda do campeonato.

O Jogo

Com o garoto Caíque de apenas 18 anos no gol no lugar do goleiro titular Fernando Miguel que estava machucado, o Leãozinho da Barra começou melhor a partida e aos 23 minutos abriu o placar numa cobrança de pênalti de Diego Renan, pênalti este marcado de forma irregular pelo árbitro gaúcho da partida.

Neste lance crucial, o lateral tricolor Tinga chegou por trás do atacante rubro-negro Vander, mas sem toca-lo, porém Vander prevendo a perda do lance se joga visivelmente dentro da área e o árbitro gaúcho Anderson Daronco assinalou o pênalti prejudicando sensivelmente o Bahia. O capitão rubro-negro Diego Renan teve calma de esperar a queda do goleiro Marcelo Lomba do lado direito do gol, para assim bater do lado oposto fazendo VITÓRIA 1 X 0.

Após o primeiro gol da partida o Bahia continuou sem reagir, e assim sofreu o seu segundo gol aos 42 minutos, quando o atacante Vander arrancou pelo lado esquerdo do ataque e fez o breque. Depois rolou para trás e Amaral pegou o chute de chapa com raríssima felicidade, colocando no ângulo de Marcelo Lomba que estava ligeiramente adiantado, fazendo assim VITÓRIA 2 X 0.

Fazendo uma partida ruim e sem garra, o Bahia infelizmente só veio criar chances reais de gol aos 43 minutos desta primeira etapa, quando Caíque defendeu um chute do atacante tricolor Edgar Junio e no minuto seguinte mandou para escanteio uma bomba disparada pelo Thiago Ribeiro, e assim terminou a primeira etapa.

Segundo Tempo

No segundo tempo, o Vitória entrou com a visível intenção de “cozinhar o jogo” com óleo de dendê e tudo mais, o que acabou dando certo, já que apesar de tentar, o técnico tricolor Doriva não conseguiu mudar o panorama da partida com suas mudanças.

O Bahia foi um time apático, abaixo das expectativas da torcida, mas não se pode deixar de ressaltar que foi prejudicado sensivelmente pelo árbitro da partida. Já o Leãozinho da Barra foi um time mais faltoso, mas segurou o resultado e assim levou a vantagem para o jogo de volta que lhe daria o título graças a outro erro crucial de arbitragem.

VÍDEO:


FOTOS:

quinta-feira, 31 de março de 2016

JOGO 4943

PARTIDA NUM.: 4943
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Semifinais - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 2 X 1 Fluminense de Feira (BA)
DATA: Quarta-feira, 20 de abril de 2016
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
AUXILIARES: Dijalma Silva Ferreira Júnior (BA) e José Carlos Oliveira dos Santos(BA)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Éder (Bah) e Igor (Flu)
RENDA: R$ 47.018,50
PÚBLICO: 4.556 pagantes
GOLS: Thiago Ribeiro e Luisinho (Bah) e Luquinhas (Flu)
BAHIA: Marcelo Lomba; Tinga (Hayner), Robson, Éder e Moisés; Paulo Roberto (Gustavo Blanco), Danilo Pires (Feijão), Juninho, Edigar Junio e Thiago Ribeiro; Luisinho.
TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
FLUMINENSE DE FEIRA: Jair; Edson, Igor, Eduardo e Zé Aquirás; Fausto (Alessandro Azevedo), Dim, Luquinhas e Fernando (Filipe); Lucas (Deon) e Etinho.
TREINADOR: 
Arnaldo Lira

OBSERVAÇÃO: Décimo jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2016. Na noite do dia 20/04, o Bahia voltou a jogar mal, mas venceu na Arena Fonte Nova o Fluminense de Feira por 2 a 1 se garantindo na final do Campeonato Baiano contra o Leãozinho da Barra.

O Jogo

Precisando fazer três gols, o Fluminense, sem muito a perder, partiu para cima do Bahia no primeiro tempo. Mas a baixa qualidade técnica da equipe do interior impedia qualquer chance de marcar.

O Bahia chegou a equilibrar a partida, mas não criou chances claras de gol. Isso ficou por conta do Flu. Aos 30 minutos, Eltinho recebeu belo passe de calcanhar, invadiu a área, e poderia ter chutado de primeira, mas tentou driblar e perdeu a bola. A chance do gol perdida irritou o treinador Arnaldo Lira.

O Bahia insistia com jogadas pelas laterais e cruzamentos na área, mas ora a bola passava forte, ora a zaga do Fluminense levava a melhor. Danilo Pires e Juninho não conseguiam armar jogadas para o ataque e Thiago Ribeiro errou praticamente todos os passes que tentou.

Ao final da primeira etapa, a torcida tricolor, que já havia gritado que a Série B é obrigação, vaiou o time na Arena Fonte Nova.

Segundo Tempo

O Bahia entrou no segundo tempo mais ligado, após a bronca da torcida na saída do vestiário - e provavelmente os jogadores devem ter ouvido poucas e boas de Doriva. Aos sete minutos, Edigar Junio fez belo lance pela esquerda e cruzou para Thiago Ribeiro só teve o trabalho de colocar a bola no fundo da rede, BAHIA 1 X 0 FLUMINENSE DE FEIRA .

A torcida ainda comemorava o gol tricolor, quando dois minutos depois, Luquinhas dominou a bola no peito e chutou de primeira marcando um golaço e empatando a partida, BAHIA 1 X 1 FLUMINENSE DE FEIRA.

O técnico Doriva decidiu então segurar o jogo e colocou Feijão no lugar de Danilo Pires. E aos 22 minutos foi Feijão foi quem tocou para Thiago Ribeiro lançar Luisinho na entrada da área. O atacante tricolor chutou, na caída ampliando o marcador, BAHIA 2 X 1 FLUMINENSE DE FEIRA.

A partida então ficou aberta e o Bahia teve duas chances de fazer mais gols. Thiago Ribeiro recebeu sozinho na grande área e chutou horrível, por cima do gol. Luisinho também teve chance e, também sozinho, chutou em cima de Jair.

Aos 38 minutos, Lomba fez a defesa da partida. Dim acerta um belo chute no ângulo e o goleiro do Bahia se estica todo para fazer uma  bela defesa.

Apesar do triunfo, a torcida tricolor que estava ressentida pela desclassificação da Copa do Nordeste, após o apito do árbitro, voltou a vaiar a equipe mostrando que não estáva satisfeita com o time.

VÍDEOS:


FOTOS: