Assuntos

sexta-feira, 29 de maio de 2015

JOGO 4885

PARTIDA NUM.: 4885
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Primeira Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 0 X 0 Macaé (RJ)
DATA: Terça-feira, 02 junho de 2015
LOCAL: Macaé-RJ
ESTÁDIO: Cláudio Moacyr de Azevedo (Moacyrzão)
JUIZ: Paulo Roberto Alves Júnior (PR-CBF-2)
AUXILIARES: Ivan Carlos Bohn (PR-CBF-1) e Celso Luiz da Silva (MG-CBF-1)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Tony (Bah) e Filipe Machado e Gedei (Mac)
RENDA: R$ 41.000,00
PÚBLICO: 3.250 pagantes
GOLS: 
BAHIA: Douglas Pires; Tony, Jailton, Titi e Marlon; Yuri, Tiago Real, Souza e Rômulo (Bruno Paulista); Zé Roberto (Willians Santana) e Léo Gamalho.
TREINADOR: Sérgio Soares
MACAÉ: Ricardo Berna; Max, Brinner, Filipe Machado e Diego Corrêa; Gedeil, Juninho, Aloísio (Marquinho) e Fernando Santos; Pipico e Anselmo (Giovani).
TREINADOR: Marcelo Cabo

OBSERVAÇÃO: Quinto jogo do Bahia na Campeonato Brasileiro da Série-B de 2015. Em um jogo movimentado, Macaé e Bahia não saíram do 0 X 0 no estádio Moacyrzão. Com o resultado, o tricolor baiano deixou a liderança da competição, enquanto o elenco fluminense saiu da zona de classificação da Série-A.

O empate deixou o Bahia com 11 pontos, ocupando a terceira colocação da Série B, dois pontos atrás do Botafogo, líder, e do Náutico. Já o Macaé é o quinto colocado, com 10 pontos conquistadas.

O jogo

As equipes foram ao ataque nos primeiros minutos da etapa inicial, mas pouco assustaram os goleiros. O maior susto desta fase do encontro foi o Macaé. Aos 18, Pipico recebeu na entrada da área, se livrou do defensor Tony e chutou com efeito. A bola passou raspando a trave do goleiro Douglas Pires, que estava rendido no lance.

O Bahia respondeu logo em seguida. Aos 21, Rômulo recebeu a bola na entrada da área após uma bela triangulação. O jogador arriscou o remate e a bola foi em direção ao canto da baliza de Ricardo Berna. O goleiro teve que se esforçar para realizar a defesa.

O time da casa chegou novamente com perigo aos 35 da primeira etapa. Após escanteio, a defesa baiana falhou e a bola sobrou para Anselmo. O atacante chutou com força, mas o goleiro Douglas Pires fez uma linda defesa à queima roupa.

Segundo Tempo

No segundo tempo, o Macaé começou melhor. O atacante Léo Gamalho, do Bahia, não prestou atenção e entrou a esférica para o volante Juninho. O jogador arriscou de longe, quase pegando Douglas Pires desprevenido, que deu um grande salto para praticar a defesa.

Após o susto, o Bahia também teve sua oportunidade. Com nove minutos do segundo tempo, Zé Roberto comandou um contra-ataque e tocou de calcanhar para Tiago Real. O meia rematou de fora da área e obrigou Ricardo Berna a fazer uma grande defesa. No rebote, Zé Roberto impediu Léo Gamalho de concluir e chutou para fora.

As equipes continuaram insistindo em abrir o marcador do estádio Moacyrzão, mas Ricardo Berna e Douglas Pires mantiveram o marcador em 0 a 0.

VÍDEO:

video

FOTOS:

sexta-feira, 22 de maio de 2015

JOGO 4884

PARTIDA NUM.: 4884
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Primeira Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 0 Paraná (PR)
DATA: Sexta-feira, 29 maio de 2015
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Rodrigo Batista Raposo (DF)
AUXILIARES: José Araújo Sabino (DF) e Daniel Henrique da Silva Andrade (DF)
EXPULSÃO: Wilson Pittoni (Bah) e Danilo Báia (Par)
C. AMARELO: Tony e Wilson Pittoni (Bah) e Marcos Paraná e Danilo Báia (Par)
RENDA: R$ 451.731,50.
PÚBLICO: 19.663 pagantes (19.897 no total)
GOL: Titi (Bah)
BAHIA: Douglas Pires; Tony, Robson, Titi e Marlon; Wilson Pittoni, Eduardo (Willians Santana depois Yuri) e Tiago Real; Rômulo (Mateus), Zé Roberto e Léo Gamalho.
TREINADOR: Sérgio Soares
PARANÁ: Murilo Prates; Danilo Báia, Zé Roberto, Léo Coelho e Fernandes; Jean, Éder (Paulo Henrique), Washington e Rafael Costa (Yan Philippe); Marcos Paraná (Lucas Pará) e Henrique.
TREINADOR: Nedo Xavier

OBSERVAÇÃO: Quarto jogo do Bahia na Campeonato Brasileiro da Série-B de 2015. Com este resultado e com a confirmação dos resultados ao final da rodada, o Bahia assumia a liderança do campeonato.

O Jogo

Embora a torcida do Bahia tenha comparecido na Arena Fonte Nova, o Paraná não se intimidou e colocou os donos da casa em apuros nos primeiros minutos da partida. O time paranista aproveitou bem o buraco na intermediária defensiva baiana e usou a velocidade para castigar o adversário, principalmente com Henrique pelo lado esquerdo, que dava muito trabalho ao zagueiro Robson. Por pouco, o gol não saiu antes dos cinco minutos. Após cruzamento na área, Rômulo cortou mal, e Rafael Fernandes finalizou com muito perigo para grande defesa de Douglas Pires. Os visitantes continuaram em cima, porém não conseguiram mandar a bola para as redes.

O Bahia, por sua vez, não desperdiçou a chance que teve. Em cobrança de falta, Marlon obrigou o goleiro Murilo Prates a espalmar para o meio da área. No rebote, Titi estava lá para balançar as redes. Mesmo mal em campo, o Tricolor da Boa Terra teve a chance de ampliar em cobrança de pênalti. Léo Gamalho tentou marcar de cavadinha e mandou a bola por cima do gol. Antes do fim da primeira etapa, Zé Roberto ainda teve a oportunidade ampliar o placar, mas abusou do preciosismo e errou um voleio quase na pequena área.

Segundo Tempo

Diferente do que se viu na primeira etapa, as duas equipes voltaram do intervalo um tanto quanto sonolentas e fizeram um duelo sem grandes emoções. Em vantagem no placar, o Bahia administrava o jogo da maneira que lhe convinha, enquanto os visitantes encontravam muita dificuldade em furar o bloqueio adversário. Resultado: Douglas Pires e Murilo Prates, os dois goleiros, quase não trabalharam. As coisas melhoraram ainda mais para os donos da casa quando o lateral Danilo Baia fez falta dura em Zé Roberto, recebeu o segundo amarelo e foi expulso da partida. Mesmo com mais espaço dentro de campo, o Tricolor se mostrava sem forças para buscar o gol e seguiu cozinhando o duelo. E quando Wilson Pittoni foi expulso e os times se igualaram numericamente, o ponteiro do relógio já marcava 44 minutos. Já era tarde para que o Paraná buscasse a reação. Final Bahia 1 X 0.

VÍDEOS:

video
video
video

FOTOS:

domingo, 17 de maio de 2015

JOGO 4883

PARTIDA NUM.: 4883
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Primeira Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 3 X 0 CRB (AL)
DATA: Sábado, 23 maio de 2015
LOCAL: Maceió-AL
ESTÁDIO: Rei Pelé
JUIZ: Luiz Cláudio Sobral (PE)
AUXILIARES: Bruno César Chaves Vieira (PE) e José Reinaldo Figueiredo da Silva Filho (AL)
EXPULSÃO: Souza (Bah)
C. AMARELO: Zé Roberto, Wilson Pittoni, Tony, Titi (Bah) e Clebinho, Júlio César, Diego Jussani (Crb)
RENDA: R$ 119.461,00
PÚBLICO: 6.322 pagantes
GOLS: Wilson Pittoni, Marlon e Willians Santana (Bah)
BAHIA: Douglas Pires;  Tony, Robson, Titi e Marlon (Jaílton); Wilson Pittoni, Souza e Tiago Real; Rômulo (Yuri), Zé Roberto (Willians Santana) e Léo Gamalho.
TREINADOR: Sérgio Soares
CRB: Julio César; Paulo Sérgio, Diego Jussani, Gabriel e Gleidson Souza;, Olívio, Leandro Brasília (Kenedy), Clebinho (Gérson Magrão) e Fernando; Maxwell e Daniel Cruz (Pingo).
TREINADOR: Alexandre Barroso

OBSERVAÇÃO: Terceiro jogo do Bahia na Campeonato Brasileiro da Série-B de 2015. Com esse resultado O Bahia assumiu a vice-liderança do Campeonato ao final da rodada.

O Jogo

A partida teve os seus minutos iniciais sem muitas oportunidades e a primeira grande chance de gol foi do time do time da casa aos 10 minutos, com o atacante André Cruz, que recebeu cruzamento do lateral Paulo Sérgio e finalizou para o gol, sendo impedido por boa defesa de Douglas Pires.

Novamente o CRB chegou pela direita com Paulo Sérgio. Aos 14, o lateral fez jogada e tocou para Olívio, que mandou por cima. Um minuto depois, em cobrança ensaiada, o Bahia respondeu com Souza, que cruzou para Robson, mas o zagueiro não cabeceou com precisão.

Aos 20, Souza cobrou falta que não causou perigo à meta de Júlio César. Com 30 minutos do primeiro tempo, Daniel Cruz recebeu bola de Clebinho na entrada da grande área e bateu muito mal.

Wilson Pittoni fez um gol digno do nome do estádio em Macéió (AL). Aos 35, na entrada da grande área, o paraguaio do Bahia recebeu bola do estreante lateral Marlon e mandou um chute com extrema felicidade nas redes do goleiro Júlio César. O gol fez a festa dos tricolores que se fizeram presentes na capital alagoana. Logo depois, aos 37, Souza arriscou de fora da área igual a Pittoni, mas mandou por cima.

A noite não poderia ser melhor para o estreante Marlon. Aos 41, pelo lado esquerdo, Zé Roberto fez pelo passe para o lateral, que teve muita tranquilidade para tocar por cima do goleiro do CRB e aumentar a vantagem.

O CRB respondeu aos 45 com Daniel Cruz, que, dentro da área, quase marcou ao receber passe de cabeça de Maxwell.

Segundo Tempo

Sob pressão, o CRB entrava para a segunda etapa com a missão de marcar gols. Aos 3 minutos do segundo tempo, Douglas Pires quase facilitou as coisas para o time alagoano ao se atrapalhar com a bola dentro da área, mas Titi mandou para escanteio. Aos 8, Fernando recebeu passe em profundidade e, livre na grande área, mandou pra longe.

Apesar da maior tranquilidade na partida, o Bahia perdeu vantagem em campo. Aos 20, o volante Souza recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso após cometer falta dura no meia do CRB Fernando.

Mesmo com a maioria no gramado, a equipe alagoana não causou grandes perigos à meta de Douglas Pires. O jogo ficou muito truncado nos minutos seguintes.

Aos 35, pelo lado direito, o CRB chegou com Paulo Sérgio, mas Pittoni foi ágil e afastou. A falta de chances do CRB irritou a torcida, que, começava a deixar as dependências do estádio.

O Bahia teve chance aos 39 com Marlon, que pegou sobra e bateu por cima de meta do CRB. 

Já abatido, o CRB não conseguia chegar ao ataque. O Bahia aproveitou isto e chegou ao terceiro gol aos 48 minutos. Léo Gamalho deu bom passe para Willians, que assim como fez contra o Luverdense, driblou o goleiro e mandou para a rede. Fim de jogo: CRB 0 x 3 Bahia.


VÍDEO:

video


FOTOS:

sábado, 16 de maio de 2015

JOGO 4882

PARTIDA NUM.: 4882
COMPETIÇÃO: Copa do Brasil (Segunda Fase - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 3 X 1 Luverdense (MT)
DATA: Quarta-feira, 20 maio de 2015
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Renan Roberto de Souza (PB-CBF-1)
AUXILIARES: Kildenn Tadeu Morais de Lucena (PB-CBF-1) e Oberto da Silva Santos (PB-CBF-2)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Adriano Apodi (Bah) e Julio Terceiro (Luv)
RENDA: R$ 75.629,00
PÚBLICO: 4.708 pagantes e 4.771 público total
GOLS: Léo Gamalho, Tiago Real e Willians Santana (Bah) e Paulinho (Luv) 
BAHIA: Douglas Pires; Tony, Robson, Titi e Patric (Adriano Apodi); Wilson Pittoni, Tiago Real, Souza; Rômulo (Willians Santana), Zé Roberto (Mateus) e Léo Gamalho.
TREINADOR: Sérgio Soares
LUVERDENSE: Edson, Raul Prata (Diego Silva), Walace, Montoya e Paulinho; Júlio Terceiro (Ciro), Michel, Ricardo, Osman e Diego Rosa (Rafael Tavares); Luiz Eduardo.
TREINADOR: Júnior Rocha

OBSERVAÇÃO: Quarto jogo do Bahia na Copa do Brasil de 2015. Com este resultado o Bahia se classificou para disputar a a terceira fase da copa jogando contra o Paysandu-PA.


O jogo teve público discreto devido a forte chuva que continuava atingindo Salvador há quase um mês, além da greve dos motoristas de ônibus que estava ocorrendo, coisa que veio prejudicar sensivelmente a ida do torcedor do Bahia à Fonte Nova. Sendo assim o público foi de apenas 4.771.

O JOGO

O Bahia mostrou logo no início do jogo o motivo de ter na época 88% de aproveitamento em casa no ano 2015. No ritmo dos 4771 torcedores que cantavam nas arquibancadas da Arena Fonte Nova, o Tricolor empurrou o Luverdense para o campo de defesa e dominou as ações. Léo Gamalho desperdiçou boa chance ao invadir a área e chutar cruzado. A bola foi parar na lateral. Na segunda oportunidade, o atacante mostrou faro de artilheiro e balançou as redes. Aos 14 minutos, recebeu passe na grande área, limpou a defesa do Verdão do Norte e marcou um belo gol. O time do Mato Grosso não esboçou reação e ficou em desvantagem maior aos 26 minutos, quando Tiago Real arriscou de longe e fez outro golaço. Ainda houve tempo para Zé Roberto acertar a trave em lance de contra-ataque. Passivo, o Luverdense foi para o intervalo com apenas uma finalização na direção da meta defendida por Douglas Pires.

SEGUNDO TEMPO

Para a segunda etapa, os técnicos decidiram mudar os times. No Bahia, Patric sofreu um mal-estar no vestiário e foi substituído por Adriano. Junior Rocha decidiu adiantar o time e colocou o atacante Ciro na vaga do volante Junior Terceiro. O cenário da partida foi outro que sofreu alterações. O Tricolor continuava a atacar com muito perigo, mas o Verdão do Norte também passou a ter presença ofensiva e conseguiu diminuir a desvantagem no placar com gol olímpico de Paulinho, aos 20 minutos. Com o gol, a partida ficou equilibrada. O Bahia atacava em bloco, o Luverdense respondia nos contra-ataques, principalmente nas costas do lateral-direito Adriano, improvisado na esquerda. No embate, quem levou a melhor foi o time baiano, que marcou outro bonito gol, desta vez com Willians Santana, que recebeu passe em profundidade, driblou Edson Kölln e apenas tocou para a meta vazia. Final Bahia 3 X 1 Luverdense-MT.

VÍDEOS:
video

FOTOS:

terça-feira, 5 de maio de 2015

JOGO 4881

PARTIDA NUM.: 4881
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Primeira Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 4 X 1 Mogi Mirim (SP)
DATA: Sexta-feira, 15 maio de 2015
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Roberto Santos (Pituaçu)
JUIZ: Rogério Lima da Rocha (SE)
AUXILIARES: Daniel Vidal Pimentel (SE) e Guimarães Pereira (SE)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Bruno Paulista (Bah) e Fábio Sanches e Edson Ratinho (MoM)
RENDA: 
PÚBLICO: Pontões Fechados
GOLS: Maxi Biancucchi, Zé Roberto (2), e Léo Gamalho (Bah) e Geovane (MOM)
BAHIA: Douglas Pires; Tony (Adriano Apodi), Robson, Titi e Bruno Paulista (Patric); Wilson Pittoni, Tiago Real, Souza; Maxi Biancucchi, Zé Roberto (Rômulo) e Léo Gamalho.
TREINADOR: Sérgio Soares
MOGI MIRIM: Daniel; Edson Ratinho, Fábio Sanches, Wagner e Leonardo; Magal, Léo Bartholo (Gustavo), Romário, Élvis (Jr. Juazeiro) e Vitinho (Geovane Loubo); Geovane.
TREINADOR: Edson Cholbi Nascimento (Edinho)

OBSERVAÇÃO: Segundo jogo do Bahia na Campeonato Brasileiro da Série-B de 2015. O jogo foi de portões fechados para cumprir a punição ao Bahia imposta pelo STJD ainda em 2014.

O Jogo

Bahia e Mogi Mirim se enfrentaram com o alvará para jogar um futebol feio, sem a presença da torcida e muita chuva na cidade de Salvador, e fizeram uso deste alvará durante esta partida, com um 1º tempo com poucas emoções, mas muita eficiência. Os times não conseguiam criar e na primeira boa chance a bola caiu no pé de quem a chama de "você", e o destino foi certo. Aos 18 minutos, o argentino Maxi aproveitou falha do zagueiro Wagner, invadiu a área, cortou o defensor e mandou um chute lindo de canhota para o fundo das redes. Bahia 1x0.

Apesar do gol, o jogo seguiu no mesmo marasmo que iniciou, o que se via era muitos chutões e erros de passes, o Bahia não conseguia criar e chamava o Mogi para seu campo, e deu no que deu, aos 30 minutos Elvis invadiu a área, Douglas Pires errou no abafa e a bola ficou livre para o meia cruzar na cabeça do atacante Geovane que só teve o trabalho de mandar para as redes e colocar o 1x1 no placar.

Após o empate, a "cara" do jogo mudou completamente, o Bahia teve uma melhora significativa, aproveitou os erros defensivos do adversário e fez "chover" em Pituaçu. Aos 44, o atacante Zé Roberto recebeu cruzamento na medida de Pittoni e estufou as redes do goleiro Daniel. 2x1. O Tricolor ainda teve a oportunidade de fazer o terceiro com Maxi que saiu na cara do goleiro e deu um toque sutil por cima, mas a bola saiu caprichosamente pela linha de fundo e o 1º tempo ficou nisso.

Segundo Tempo

Na segunda etapa, Zé Roberto não esperou nem ir pegar um cafezinho para esquentar os ânimos e aos 13 segundos tratou de mostrar novamente eficiência na finalização, após cruzamento de Maxi Biancucchi, o atacante mandou de primeira e marcou o terceiro do Bahia. 3x1. Depois de tanta insistência, aleluia, enfim Léo Gamalho encontrou o caminho das redes, aos 18 minutos, o Samurai recebeu o passe do "garçom" Maxi e tentou duas vezes para desencantar no Estádio de Pituaçu. Bahia 4x1.

Depois da "chuva" gols, a chuva apertou e deu uma esfriada no jogo, o tricolor baiano administrou o resultado confortável e o Mogi não teve motivação para buscar uma reação quase que impossível com o placar totalmente desfavorável para equipe paulista. E ficou nisso, Bahia 4x1 Mogi Mirim.

VÍDEOS:

video
video

FOTOS: