Assuntos

segunda-feira, 20 de abril de 2015

JOGO 4879

PARTIDA NUM.: 4879
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro da Série-B (Primeira-Fase - Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 1 América (MG)
DATA: Sábado, 09 maio de 2015
LOCAL: Belo Horizonte-MG
ESTÁDIO: Arena Independência
JUIZ: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
AUXILIARES: Luiz Carlos Regazone (RJ) e Calos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Wilson Pittoni, Willians Santana e Feijão (Bah) e Santos, Anderson Conceição, Leandro Guerreiro, Walber, Felipe Amorim e Mancini (Amé)
RENDA: R$ 31.010,00
PÚBLICO: 1.541 pagantes
GOLS: Wesley Matos (contra) (Bah) e Mancini (Amé)
BAHIA: Jean; Tony (Yuri), Robson, Titi e Patric (Feijão); Wilson Pittoni, Tiago Real e Bruno Paulista; Maxi Biancucchi, Kieza (Willians Santana) e Zé Roberto.
TREINADOR: Sérgio Soares
AMÉRICA: João Ricardo; Walber, Anderson Conceição, Wesley Matos e Raul; Thiago Santos (Leandro Guerreiro), Diego Lorenzi, Mancini e Tony; Felipe Amorim (Wilie) e Sávio (Marcelo Toscano).
TREINADOR: Givanildo de Oliveira

OBSERVAÇÃO: Jogo de estréia Bahia na Campeonato Brasileiro da Série-B de 2015.

O jogo

A bola rolou e as duas equipes começaram a partida se estudando. O América-MG, jogando em casa, acenava com uma postura um pouco mais ofensiva. Mas, foi o Bahia quem abriu o placar, contando com a ajuda do adversário. O jogador tricolor Zé Roberto arrancou pela direita e cruzou para a área. O americano Wesley Matos, sozinho, tentou afastar, mas a bola pegou em sua canela e foi para trás, na direção do gol de João Ricardo, entrando no canto.

O Coelho teve a chance do empate dez minutos depois. Mancini cobrou falta da direita, mandou a bola para a área do Bahia. Thiago Santos desviou de cabeça, para a pequena área, e Felipe Amorim, de frente para o gol de Jean, não alcançou.

O jogo ficou equilibrado, sem chances claras de gol, até o Bahia levar perigo, aos 36. Após cobrança de escanteio, a defesa do América-MG afastou mal, Maxi Biancucchi ficou com a bola e arriscou, de fora da área. O chute foi de curva, o goleiro João Ricardo saltou e a bola explodiu na trave. Aos 43, o Bahia perdeu o atacante Kieza, artilheiro da equipe na temporada com 14 gols. Ele sentiu dores na coxa. Willians entrou em seu lugar.

Nos acréscimos, aos 48, o Bahia quase ampliou, em outra falha de Wesley Matos. O zagueiro cortou mal, ao antecipar o goleiro João Ricardo, que deixou a área, e a bola ficou com Zé Roberto, que finalizou mal. O chute saiu fraco e Wesley Matos afastou.

Segundo tempo

O América-MG voltou com Leandro Guerreiro no lugar de Thiago Santos, e, em busca do empate, se lançou ao ataque, insistindo nas jogadas de bolas alçadas para a área do Bahia. Nisso, o tricolor baiano tinha o contra-ataque, e foi assim que quase chegou ao segundo gol. Aos 10 minutos, Zé Roberto disparou com a bola dominada, invadiu a área do time mineiro, mas parou e se enrolou todo, perdendo grande oportunidade de tentar a finalização.

Sem sucesso no jogo aéreo, o Coelho tentou algo diferente. Aos 15 minutos, o lateral-esquerdo Raul arriscou um chute de longa distância e mandou a bola na trave de Jean. De tanto insistir, o América-MG chegou ao empate cinco minutos depois. Bruno Sávio fez jogada pela esquerda e, na entrada da área, deu ótimo passe para Mancini. O experiente jogador dominou e bateu firme. A bola ainda tocou em Jean antes de ir para o gol.

Animada, a equipe mineira quase virou o placar aos 25, quando Mancini, na área adversária, tocou para Tony, que encheu o pé. Jean defendeu em dois tempos. O jogo ficou aberto, e o Bahia também levou perigo. Aos 27, experimentou um chute de longe, e João Ricardo espalmou. O Coelho teve outra chance com Tony, quatro minutos depois, mas o goleiro Jean defendeu. A última grande oportunidade foi aos 47, com Willie, para o América. Ele recebeu passe na pequena área, bateu cruzado, mas pegou mal na bola e facilitou para o goleiro Jean. Final do jogo empate em 1 X 1.

VÍDEOS:


FOTOS:


sábado, 18 de abril de 2015

JOGO 4878

PARTIDA NUM.: 4878
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Finais - Jogo de Volta)

                             

JOGO: Bahia 6 X 0 Vitória da Conquista (BA)
DATA: Domingo, 03 maio de 2015
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Jailson Macedo Freitas (BA)
AUXILIARES: José Raimundo Dias da Hora (BA) e Jucimar dos Santos Dias (BA)
EXPULSÃO: Diego Aragão (ViC)
C. AMARELO:  Bruno Paulista, Tiago Real, Zé Roberto, e Rômulo (Bah) e Tatu e Fausto (ViC)
RENDA: R$ 468.040,00.
PÚBLICO: 20.904 pagantes e 21.141 público total
GOLS: Robson, Bruno Paulista, Kieza (2) e Souza (2) (Bah)
BAHIA: Jean; Tony, Titi, Robson e Bruno Paulista; Wilson Pittoni, Souza e Tiago Real; Maxi Biancucchi (Rômulo), Zé Roberto (Willians Santana) e Kieza (Mateus).
TREINADOR: Sérgio Soares
VIT. DA CONQUISTA: Viafára; Adriano Apodi, Fernando Belém, Sílvio e Mateus Leoni; Fausto (Erivelton), Maicon, Diego Aragão e André Beleza (Cacá); Carlinhos (Rafamar) e Tatu.
TREINADOR: Evandro Guimarães.

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo e último jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2015. Com este resultado o Bahia sagrou-se BI-Campeão Baiano - 2014/15.

Antes de entrar em campo no domingo, a tarefa do Bahia parecia a mais complicada possível., ou seja, vencer um rival, até então invicto, por pelo menos três gols de diferença, e isto quatro dias após perder um título regional. No entanto, os 11 jogadores escalados pelo técnico Sérgio Soares e o apoio fundamental da torcida tricolor transformaram esta tarefa em uma formalidade. Com um ímpeto acima do comum, o Bahia foi impiedoso e venceu o Vitória da Conquista por 6 a 0, garantindo assim, dentro de seus domínios, o 46º título estadual da sua história.

O JOGO

O primeiro tempo começou de forma elétrica e com um Bahia arrasador. A etapa poderia ser resumida como um Bahia impiedoso e um Conquista descontrolado. Se havia quem desconfiasse que não era possível para o time da capital reverter a vantagem de três gols da equipe do interior, o Tricolor tratou logo cedo de mostrar que não era bem assim. Aos nove minutos, Robson pegou sobra na entrada da área e marcou o primeiro gol. O tento inflamou a Fonte Nova e assustou o Conquista.

Embalado pela sua torcida, o Bahia foi com tudo ao ataque e conseguiu o segundo gol aos 13, após, quando Bruno Paulista aproveitou a saída errada de Viáfara, e de longe, marcou o segundo gol do Bahia. Acuado, o Bode conquistense viu a necessidade de acalmar o jogo e tentar mostrar o seu futebol, mas o Bahia novamente mostrou força e aos 22 minutos marcou o terceiro com Kieza, após passe de Souza. Com o gol, o camisa 9 tricolor se tornou artilheiro do campeonato com sete gols. E ainda houve tempo para mais gols, mas Kieza desperdiçou as chances que teve.

SEGUNDO TEMPO

O segundo tempo começou diferente. Após o intervalo e novas instruções de Evandro Guimães, o Conquista acordou e decidiu sair para a partida. Nos dez primeiros minutos, o Bode até lembrou o time que chegou na final com 11 jogos sem perder no estadual. Mas estes poucos minutos vivos não foram suficientes.

O Bahia voltou a imprimir o ritmo do primeiro tempo e ganhou um pênalti a seu favor, quando Zé Roberto foi derrubado na área. Souza cobrou com categoria para marcar o quatro e tranquilizar a torcida. Mas ainda havia muito tempo de jogo. Tempo suficiente para Souza, cobrando novo pênalti, marcar o quinto do Bahia, e Kieza, o sexto, oitavo em toda a competição. A partir daí, a decisão virou formalidade, com a torcida soltando o grito de bicampeão e com direito a olé. Nem a mesmo a chuva que caiu na Fonte Nova foi suficiente para diminuir a festa da maioria dos 20 mil presentes, que presenciaram a história: Bahia Bicampeão Baiano.

Como um rival sedento pelo triunfo diante de um adversário que em momento algum foi páreo, o Bahia partiu para o ataque desde os primeiros minutos desta partida. E encontrou do outro lado um Vitória da Conquista que sentiu o peso da decisão. Se houve um dia na curta história de dez anos do Bode Conquistense em que nada deu certo, esse dia foi neste domingo 04/05/2015.

De quebra, o Bahia ainda bateu marcas históricas. Desde 1994, o Tricolor não conquistava um bicampeonato estadual. Além disso, esse foi o primeiro título na nova Fonte Nova, e levando em conta o antigo estádio, o Tricolor quebrou um jejum que durava 14 anos, afinal desde 2001, quando o Bahia venceu a Copa do Nordeste, um clube não era campeão na Fonte Nova.

VÍDEOS:

FOTOS:

JOGO 4877

PARTIDA NUM.: 4877
COMPETIÇÃO: Copa do Nordeste (Finais - Jogo de Volta)

                            


JOGO: Bahia 1 X 2 Ceará (CE)
DATA: Quarta-feira, 29 abril de 2015
LOCAL: Fortaleza-CE
ESTÁDIO: Arena Castelão
JUIZ: Ítalo Medeiros de Azevedo (RN)
AUXILIARES: Lorival Cândido das Flores (RN) e Luís Carlos Câmara Bezerra (RN) 
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Wilson Pittoni e Tiago Real (Bah) e Uillian Correia e Wescley (Cea)
RENDA: R$ 1.807.162,00 
PÚBLICO: 63.903 pagantes e 504 não pagantes
GOLS: Maxi Biancucchi (Bah) e Charles e Gilvan (Cea)
BAHIA: Jean; Tony (Tchô), Robson, Titi e Bruno Paulista; Wilson Pittoni (Willians Santana), Souza, Tiago Real e Rômulo (Zé Roberto); Maxi Biancucchi e Kieza 
TREINADOR: Sérgio Soares
CEARÁ: Luís Carlos; Samuel Xavier, Charles, Gilvan (Sandro) e Fernandinho; Sandro Manoel, Uillian Correia, Ricardinho e Wescley (Marcos Aurélio); Assisinho (Tiago Cametá) e Magno Alves
TREINADOR: Paulo Silas do Prado Pereira (Silas)

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo e último jogo do Bahia na Copa do Nordeste de 2015. Com este resultado o Cerá Conquistou a Copa Nordeste 2015.

O Jogo

Com aproximadamente cerca de 20 minutos de atraso, uma franca troca de ataques brindou os torcedores que lotavam a Arena Castelão. Sandro Manoel do Ceará, de forma boba, perdeu bola na intermediária, e Kieza quase completou um contra-ataque perfeito para o Tricolor de Aço.

O Ceará, dominante com a bola nos pés, sabia exatamente o que fazer. O maestro Ricardinho, decisivo no jogo da Fonte Nova, novamente apareceu para marcar seu nome na história do centenário Vovô. Um cruzamento perfeito, na cabeça de Charles, deu a dianteira aos donos da casa. Explosão da massa alvinegra, pois dessa forma num eventual empate em 1x1 não haveria mais a oportunidade da disputa de pênaltis. E assim terminou o primeiro tempo com o Ceará na frente.
Segundo tempo

Segundo Tempo

Na volta para a segunda etapa, o técnico Sérgio Soares do Bahia precisava ir ao ataque. Assim sacou Rômulo e colocou Zé Roberto, mas o efeito não foi o desejado. Mais uma vez, foi o Ceará que chegou com perigo. E mais uma vez com os pés de Ricardinho, que acertou a trave e viu, caprichosamente, a bola correr pela área, sem que ninguém a colocasse para dentro do gol. O domínio era completo do Ceará. Dentro ou fora de campo. Em nova cobrança de falta de Ricardinho, Gilvan, desta vez, subiu mais alto para decretar nova mudança no placar: 2 X Ceará.

Não tenho alternativa o Bahia partia com o que tinha para o ataque. Saiu Wilson Pittoni e entrou Willians Santana. Até mesmo Sérgio Soares apressava uma reposição de bola, apostando nas últimas fichas em alguma reação do Tricolor. Reação que não viria. Nem Kieza, nem Souza, nem nenhum tricolor seria capaz de colocar água no chope do Ceará. Nem mesmo o gol de Maxi Bianccuchi, já nos minutos finais. A taça ficou no Ceará. O Castelão se coloriu de preto e branco.

VÍDEO:



FOTOS:

JOGO 4876

PARTIDA NUM.: 4876
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Finais - Jogo de Ida)

                                    

JOGO: Bahia 0 X 3 Vitória da Conquista (BA)
DATA: Domingo, 26 abril de 2015
LOCAL: Vitória da Conquista-BA
ESTÁDIO: Lomanto Júnior (Lomantão)
JUIZ: Lúcio José Silva de Araújo (BA)
AUXILIARES: José Raimundo Dias da Hora (BA) e Jucimar dos Santos Dias (BA)
C. AMARELO:  Wilson Pittoni e Léo Gamalho (Bah) e Tatu, Viáfara, Fernando Belém (ViC)
RENDA: R$ 312.925,00
PÚBLICO: 8.269 pagantes 
GOLS: Fausto, Diego Aragão e André Beleza (ViC)
BAHIA: Jean; Tony (Yuri), Thales, Titi e Bruno Paulista; Wilson Pittoni (Zé Roberto), Souza, Tiago Real; Maxi Biancucchi, (Rômulo) , Léo Gamalho e Kieza.
Técnico: Sérgio Soares.
TREINADOR: Sérgio Soares
VIT. DA CONQUISTA: Viáfara; Apodi, Silvio Fernando Belém e Mateus Leoni; Fausto, Maicon, Diego Aragão e André Beleza; Carlinhos e Tatu (Erivelton).
TREINADOR: Evandro Guimarães.

OBSERVAÇÃO: Décimo primeiro jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2015.


O JOGO

Como era de se esperar, o primeiro tempo da partida teve ingredientes de uma decisão. Com a necessidade de vencer para inverter a vantagem do Bahia, o Vitória da Conquista se lançou ao ataque desde os primeiros minutos e, empurrado pela torcida, teve maior presença de jogo. Diante do Tricolor nervoso, cometendo muitos erros, o Bode tomou conta: apostou na velocidade dos seus homens de frente e quase se deu bem. Melhor em campo, Tatu teve duas chances de abrir o placar. Na primeira, chutou por cima. Na segunda, desequilibrado, chutou fraco para defesa de Jean. O Conquista ainda perdeu outras oportunidades, uma delas após falha bizarra do goleiro tricolor, que entregou a bola nos pés de Carlinhos. Pressionado, restou ao Bahia gastar as energias da etapa inicial com reclamações contra a arbitragem.

SEGUNDO TEMPO

O segundo tempo começou com o mesmo enredo do primeiro. A diferença é que, desta vez, o Bode balançou as redes. Logo nos primeiros minutos, após cruzamento na área, a defesa do Bahia bateu cabeça, e o volante Fausto, ex-jogador do Tricolor, subiu para desviar de cabeça e abrir o marcador. O gol empolgou a torcida local, que empurrou o time ao ataque. A equipe da capital ainda ameaçou com chutes de Léo Gamalho e Maxi Biancucchi, que teve a chance mais aguda, mas não teve jeito. Sem medo e com atuação segura, os comandados de Evandro Guimarães não se contentaram com uma vitória pelo placar mínimo. Aos 22, Diego Aragão aproveitou o vacilo de Thales, driblou o zagueiro e bateu forte para marcar o segundo. O terceiro saiu dos pés de André Beleza seis minutos depois, com um chute no canto do gol de Jean.

Com arquibancada cheia, o Vitória da Conquista aproveitou o baixo rendimento do Tricolor e se impôs, vencendo a partida por 3 X 0 e  invertendo a vantagem para o jogo de volta em Salvador, onde pode perder até por dois gols de diferença.

VÍDEO:

FOTOS: